A amamentação é sem dúvida o melhor que uma mãe pode dar a um filho. Os benefícios físicos e emocionais da amamentação são cientificamente comprovados e a Organização Mundial de Saúde recomenda o aleitamento materno exclusivo até o 6º mês de vida e a continuação da amamentação até aos 2 anos de idade.

Porque parar de amamentar se já está comprovado que a amamentação prolongada protege a mãe do cancro de mama e do ovário, diabetes, osteoporose e doenças cardiovasculares? Porque parar de amamentar se o bebé está a usufruir de uma alimentação rica em nutrientes e que traz proteção contra anemia, infeções, alergias, leucemia, doenças oculares, diabetes, obesidade, doenças inflamatórias e cardíacas? Porque parar de amamentar se está comprovado que o aleitamento materno prolongado fará a sua criança ser mais inteligente e ter mais equilíbrio emocional? Apesar de todos estes benefícios há motivos que levam a mãe a querer parar de amamentar ou a ser obrigada a fazê-lo. Muitos são os motivos:

Trabalho

Pressão social

Necessidade de liberdade

Mitos sobre amamentação

Vergonha / Pudor

Veja algumas sugestões para saber qual a melhor forma de deixar de amamentar sem dramas e decida qual a que se encaixa melhor para si:

Em primeiro lugar deve perceber se o bebé está preparado para isso

O bebé preparado geralmente:

- Tem mais que 1 ano

- Consegue dormir sem peito

- Pouco interesse na mama

- Aceita outros tipos de consolo

- Aceita vários alimentos

- Tem um relacionamento seguro com a mãe

- Sente pouca ansiedade quando não mama

- Prefere brincar ao invés de mamar

- Não aceita mamar em certos locais

Leia sobre: Porque o meu bebé chora tanto à noite?

Converse com a criança

No caso de uma criança já mais crescida, será possível conversar antes e explicar que ele já está a ficar crescido e que não pode estar sempre a mamar.

Retire lentamente

Vá diminuindo gradualmente as mamadas. Sugerimos que comece por escolher apenas um horário em que a criança costuma mamar. Estipule que naquele horário não haverá mais mama. Espere entre uma e três semanas até que a criança esteja adaptada. Só então prossiga para retirar uma outra mamada. Procure iniciar retirando as mamadas mais fáceis. Será difícil, por exemplo, começar por retirar a mamada da noite. Deixe para retirá-la por último. Substitua as mamadas por outros alimentos ou por distrações.

Faça-o sem pressas

Um dos motivos para um desmame lento é que assim o peito irá reduzir a produção gradualmente. Se a interrupção for súbita, poderá haver acumulo de leite, dor e até uma mastite.

Crie outras distrações

Distraia a criança nos horários em que ela não irá mamar. Pode ser um passeio, uma brincadeira nova, uma visita de alguém, etc...

Encontre outras formas de ligação com o seu bebé

Amamentar não é só uma questão de alimentação. A criança poderá sentir falta principalmente do aconchego da mãe. Dê carinho em dobro e encontre outras formas de interagir. Brinque, cante, desenhe, dance ou conte histórias.

Não ofereça o peito

Espere que a criança peça, não ofereça. Também não diga frases absolutamente proibitivas, pois pode gerar muita ansiedade e dificultar as coisas.

Quebre a rotina 

Não siga a rotina de amamentação. Se você dá sempre de mamar naquela cadeira na sala, não se sente lá, pois vai despertar interesse imediato na criança.

No entanto, muitas vezes nem é preciso fazer nada disto. As crianças deixam de mamar por elas mesmas, cada uma no seu tempo. Elas perdem gradualmente o interesse pelo peito, à medida que se tornam mais independentes e interagem com o ambiente e as pessoas ao seu redor.

Descubra mais sobre: Massagem Shantala

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.