No início eram três amigos, o Manel Esfrega, o Chico Escuro e o João Pestana. Anos mais tarde foi a vez do rato Topo Gigio liderar a missão das boas noites.

A mensagem era simples e, pelo menos que me recorde, a ida para a cama era pacífica. Mas os tempos mudaram.

Do outro lado da história, agora no papel de pais, a perspetiva desta hora crítica provoca suores frios mesmo nos casais mais resistentes. Desde a luta por mais uns minutos no sofá, ao pedido insistente por outra história, um beijinho ou o clássico choro estereofónico as estratégias dos mais pequenos são vastas quando a hora de dormir se aproxima.

Cada criança é única e o que resulta com uma pode não ser eficaz com outra. Sabemos disso. Mas também sabemos que à uma da manhã, quando a paciência se esgota e os truques milagrosos já foram usados, o desespero e o cansaço dos pais é grande. A pensar nisso, apresentamos um conjunto de ideias úteis e eficazes. Só precisa de as pôr em prática. Sono garantido!

Cabeça fresca

Tal como o pequeno-almoço completo, uma noite bem dormida é sinónimo de saúde e crescimento saudável. O número de horas de sono varia segundo a idade e o ritmo pode diferir caso a caso, mas uma coisa é certa: horas insuficientes afetam o desempenho motor e intelectual da criança, o comportamento, o humor e a sua capacidade de reação.

Nos primeiros três meses de vida não há um padrão de sono. O bebé dorme, seja de dia ou de noite, e desperta em função das necessidades. Até aos seis meses, o ciclo de sono torna-se regular e, a partir daí, é frequente dormir uma noite sem interrupção. As sestas são parte integrante do descanso da criança até aos cinco anos. Para garantir uma boa noite de sono, evite as sestas tardias.

O modelo a seguir

Criar bons hábitos de sono passa por definir a hora de deitar e levantar. A rotina transmite segurança à criança e elimina a ansiedade (e as birras). À noite, antes de dar ordem de saída certifique-se que, na última meia-hora, ela não teve atividades estimulantes como jogar ou ver televisão. Instaure um ritual relaxante para o serão, com banho ou uma história, que reduza a energia do seu filho e o prepare para dormir.

 

Temperatura amena, conforto e pouca luz são as qualidades do quarto dos mais pequenos. Além do edredão, certifique-se de que o pijama é cómodo e protege do frio, já que a criança tende a destapar-se durante a noite. Mais tarde, quando ele for «crescido», evite colocar televisão, consola ou computador no quarto, pois são um estímulo para o manter acordado.

Mais vale só...

Pode parecer cruel, mas pôr o seu filho a dormir noutro quarto não faz mal, pelo contrário, favorece o desenvolvimento. Habituado desde cedo, o bebé cria estratégias próprias para lidar com a ausência de companhia e procura conforto ao chuchar no dedo ou pegando no boneco preferido. Assim, desenvolve autonomia e não se assusta se acorda e não vê ninguém por perto.

A hora mais crítica

Após ter preparado o seu filho, com a meia-hora zen chega a altura de o deitar. É um momento de separação que pode gerar ansiedade.

Permita que o companheiro de peluche o acompanhe ou dê espaço a só mais uma coisa como por exemplo um beijo de boa noite, pois isto transmite-lhe segurança.

 

Evite que ele durma na sala ou ao colo. A criança deve deitar-se ainda acordada, para se habituar a adormecer na cama. Durante o primeiro ano de vida é normal o sono ser interrompido. Nestas alturas, é importante acalmar o bebé, falando em voz baixa e sobretudo resistir à tentação de o levar para a cama dos pais.

Após os três anos, os pesadelos ou falar durante o sono são fenómenos comuns relacionados com a atividade mental e imaginativa. Tente consolá-lo e, caso o sonho se repita, fale com o pediatra.

Truques de mestre

Para combater as sucessivas fugas, além de voltar a colocá-la na cama sem dar azo a debate, pode adotar uma técnica norte-americana inovadora: o passe. Ao deitar, a criança recebe um cartão, que lhe dá direito a uma saída do quarto, para beber água ou ir à casa de banho.

Segundo os especialistas este funciona como uma garantia de acesso a algo desejado que retira o sabor do proibido e a criança, tentando poupar, acaba por adormecer. Muitos educadores asseguram que a medida funciona.

 

Missão cumprida

Persistência e trabalho de equipa são a garantia de êxito da operação. Defina o padrão segundo a idade do seu filho, siga o plano à risca e atue em equipa, pois basta ele pensar que um dos pais é o elo mais fraco para tentar negociar.

Ao fim de semana, permita flexibilidade horária, mas assegure-se de que a variação não excede uma hora, para não afetar a rotina semanal. Evite que ele ingira refeições pesadas ou bebidas com cafeína à noite. Acima de tudo, recorde-se que cada criança é única. Adapte o plano às necessidades e bem-estar do seu filho. E boa noite!

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.