De um modo geral, existem cinco características que descrevem o temperamento de cada um:

- Intensidade emocional
- Nível de actividade
- Tolerância à frustração
- Reacção a novas pessoas
- Reacção às mudanças

O temperamento não é algo que a criança escolhe, nem é nada que tenha sido criado por si. O temperamento de uma criança modela a forma como a criança “vive” o mundo.

Uma criança que seja cautelosa e necessite de tempo para se sentir confortável em situações novas e uma criança que se adapte imediatamente terão provavelmente experiências muito diferentes quando vão ao aniversário de um colega da escola.

Uma criança que consiga lidar com muitos estímulos sensitivos encarará de forma diferente uma ida ao supermercado, por comparação com uma criança que tenha um limite mais baixo de tolerância ao ruído e a acção ambientes.

Compreender o temperamento do seu filho ajuda a ser melhores pais. Reconhecer os padrões de comportamento do seu filho que são influenciados pelo temperamento pode ajudar a antecipar as respostas da criança a determinadas situações.

Se souber que o seu filho tem problemas nas transições, pode calcular que a hora de o ir buscar ao infantário poderá ser problemática. Poderá partilhar esta informação com a educadora do seu filho e discutir formas de tornar o fim do dia menos complicado.

Por exemplo, a educadora poderá avisar o seu filho que em breve estará na hora de ir para casa. Poderá também optar por passar alguns minutos com o seu filho enquanto ele termina o que está a fazer em vez de o levar logo para o carro.

Veja na próxima página como as crianças se podem adaptar

As crianças conseguem adaptar-se
O comportamento de uma criança e a sua abordagem ao mundo que a rodeia são moldados pelas suas experiências e, em particular, pelas suas interacções.

Por exemplo, crianças que sejam temperamentalmente tímidas podem tornar-se mais descontraídas e confortáveis em situações novas quando os pais as ajudam a adaptar-se de forma sensível e tranquila a novas experiências.

De igual forma, independentemente da consistência dos padrões de comportamento de uma criança, por vezes, as crianças podem – e conseguem – apanhá-la desprevenida e agir de forma inesperada.

Uma criança que seja normalmente tímida perante estranhos pode ficar excepcionalmente encantada com um novo professor.

O facto de uma criança nos poder surpreender é uma das maravilhas mais surpreendentes e interessantes da paternidade.

Questões culturais
Diferentes culturas envolvem diferentes valores culturais em termos de comportamento. Por exemplo, algumas culturas valorizam as crianças mais sossegadas e obedientes.

Outras valorizam as crianças vivas e mais assertivas. Um pai, que vive no centro da cidade, expressou a sua preocupação por o filho ser tão descontraído e pouco assertivo ou corajoso.

Tinha receio que o seu filho fosse abusado pelos colegas. Que qualidades valoriza e deseja para o seu filho? De que forma os seus valores culturais influenciam a forma como encara o comportamento do seu filho?

Não existe um temperamento certo ou errado, nem melhor ou pior É muito importante que as crianças sejam aceites tal como são. No entanto, é verdade que alguns temperamentos são mais fáceis de lidar do que outros.

Um pai com uma criança intensa e reactiva ou uma criança que seja tímida e mais lenta a reagir poderá dizer-lhe que educar estas crianças pode ser um verdadeiro desafio.

Helena, a mãe de Daniela de 2 anos, descreveu como foi o processo de mudança para um novo bairro e como estava desesperada por conhecer outras mães.

Finalmente, um dia, uma mãe aproximou-se com uma criança pequena pela mão que alegremente se dirigiu a Daniela e chegou mesmo a oferecer-lhe o seu lanche.

Daniela, uma criança tímida e reservada, afastou o lanche da outra criança e fez uma birra enorme quando Helena a tentou incentivar a brincar.

Continua

Helena comentou mais tarde com o marido que Daniela iria comprometer a sua vida social. (Helena descreve também Daniela como uma criança incrivelmente criativa, inteligente e amorosa.)

A maior parte dos pais preferem umas características temperamentais a outras. Francisco é tímido e reservado. O pai de Francisco por vezes sente que a sua paciência vacila e deseja que o filho fosse o tipo de criança que se sente rapidamente integrado.

A mãe do exuberante Carlos por vezes preferia desaparecer num buraco, como no dia em que o entusiasmado Carlos abraçou um colega com tanta força que o fez cair e bater com a cabeça numa cadeira.

Os pais lutam com todos estes sentimentos por várias razões. O comportamento do seu filho poderá recordar-lhe características suas de que não gosta e quer mudar – como sentir-se facilmente magoado pela antipatia de alguém.

Por outro lado, poderá sentir-se desconfortável com o facto de o seu filho ser muito diferente de si – tal como o à-vontade e conforto que o seu filho sente perante novas situações em que você normalmente seria mais reservada.

É bastante normal que goste, e se sinta mais confortável, com alguns aspectos do temperamento do seu filho do que outros.

Os irmãos podem ser (e são muitas vezes) temperamentalmente diferentes. Uma mãe contou-nos, “Na nossa casa, temos duas crianças, e temos de as educar de forma diferente.” Se tem mais de um filho, como são? Quais as diferenças? Como é que adapta o seu estilo de educação de forma a corresponder às necessidades de cada um?

Veja na próxima página como ser o herói do seu filho

Seja o herói do seu filho
Já alguma vez se sentiu isolada ou incompreendida – mesmo rejeitada – pela família, amigos e vizinhos que desaprovam ou julgam o seu filho? Não está sozinha.

Pode ser aliciante encarar estas situações como oportunidades para educar os outros sobre o seu filho. Por exemplo, um pai explica à sua tia, que não está a conseguir relacionar-se com a sobrinha, “A Sofia, como muitas outras crianças, precisa de tempo para se adaptar a novas pessoas.”

O pai entrega depois à tia o livro favorito de Sophie e desta forma ajuda a tia a lentamente aproximar-se de Sofia.

Pode também ajudar os outros a ver o comportamento do seu filho numa perspectiva diferente. Uma mãe descreve a sua filha, Teresa, a uma vizinha que é muito crítica em relação à natureza exuberante de Teresa.

“A Teresa sabe quem é e o que quer. Ela é amorosa mas corajosa e faz tudo de forma muito intensa.”

Não se esqueça, o objectivo não é mudar o temperamento da criança, mas ajudá-la a aproveitar ao máximo o seu temperamento único—tanto as forças como as fraquezas, onde irá precisar de mais apoio.

Ao observar e compreender a sua criança, poderá começar a, de uma forma lenta e sensível, ajudar a criança a adaptar-se, alargar os seus horizontes e sentir-se mais confiante sobre o seu lugar no mundo.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.