A viver um momento único, que começou com a "fase maravilhosa" que foi a gravidez da pequena Maria Inês, Fábia Rebordão confessa que com o nascimento da filha, em março, chegou também uma nova 'versão' de si.

A artista deu as boas-vindas à primeira filha em comum com Jorge Fernando, que, apesar de não ter sido pai de primeira viagem, tem vivido uma experiência completamente diferente.

A conversa com o Fama ao Minuto aconteceu na sequência da visita de Fábia e Jorge ao laboratório BebéVida, tendo destacado também a vontade de "cuidar do futuro da filha".

Quando é que decidiu optar pelo processo da criopreservação de células estaminais e em que se baseou a sua decisão?

Desde que comecei a ter noção de todo o processo, muito antes de ser mãe, que percebi a importância em termos futuros desta opção que tomei. Estou crente que, para lá do avanço científico da criopreservação de células estaminais, a ciência, através do citado processo, dará passos mais importantes. Por isso, cuidando do futuro da minha filha, decidi protegê-la nesse sentido.

© DR

A Fábia Rebordão foi mãe de uma menina em março. Recordando a gravidez, foi uma fase fácil?

Foi uma fase maravilhosa. Não tive enjoos ou qualquer tipo de mal-estar, mas por outro lado parecia interminável por toda a ansiedade que crescia dia após dia, por poder ver finalmente de frente aquele ser que trazia escondido em mim.

Tem sido um desafio constante e muito enriquecedor. Sou definitivamente outra pessoa, outra mulher

E o parto? O que recorda desse momento?

Recordo-me sim, mas o Jorge registou esse precioso momento em vídeo. E sempre que vejo sinto a mesma emoção do momento mágico e sublime que vivi. Foi o momento mais especial da minha vida, e que bom que é poder recordá-lo sempre que quisermos.

Como têm sido estes dias após a chegada da pequena Maria Inês? Como está a ser a estreia na maternidade? Quais os maiores desafios?

Tem sido um desafio constante e muito enriquecedor. Sou definitivamente outra pessoa, outra mulher. Tudo tem outro sentido com a sua chegada e tudo se torna também muito maior... A tolerância, o amor, o medo... Ela é uma bebé muito calma, simpática, muito comunicativa, é um docinho.

Ser pai da Maria Inês está a dar-lhe uma perspetiva muito diferente e muito mais envolvente da que teve há já tantos anos atrás com os seus outros filhos

No Instagram tem feito algumas partilhas, como um vídeo em que aparece a cantar com a bebé ao colo. Qual a música preferida da Maria Inês? É a melhor ouvinte?

Sim, desde a barriga que a Maria Inês ouve a minha voz. Agora ouve de fora e para ela é normal, acalma-a muito... Canto muito para ela, aliás, cantamos! Cantamos sempre a mesma música na hora de adormecê-la e ela adora 'Hey Jude' dos Beatles.

© DR

Não é o primeiro filho do Jorge Fernando, mas como tem sido vê-lo no papel de pai da Maria Inês?

Não é o seu primeiro filho, é verdade, mas é verdade também que está a viver a paternidade como nunca viveu. Tem mais disponibilidade para isso. Quando o seu primeiro filho nasceu, há 41 anos, ele partiu numa digressão com a Amália durante seis meses, de maneira que ser pai da Maria Inês está a dar-lhe uma perspetiva muito diferente e muito mais envolvente da que teve há já tantos anos atrás com os seus outros filhos.

Existe essa possibilidade daqui a uns dois anos, sensivelmente, voltarmos a ser pais

E como foi a reação dos irmãos à chegada da Maria Inês?

Ótima!! Dois dos seus irmãos mais velhos já têm filhos, logo, a Maria Inês tem oito sobrinhos mais velhos do que ela.

Juntos há mais de uma década, era uma filha há muito desejada? Gostavam de ter mais filhos juntos num futuro próximo?

Estamos juntos há 13 anos. Sim, a Maria Inês foi imensamente desejada e recebida com o nosso coração em pleno e a transbordar de amor. Já falámos sobre isso, e sim, existe essa possibilidade daqui a uns dois anos, sensivelmente, voltarmos a ser pais.

Ainda conseguem ter um tempinho só para os dois ou agora é sempre divido com a Inês?

Não é dividido com a Maria Inês. O nosso tempo agora é somado com a Maria Inês. Estamos sempre os três, só assim a nossa felicidade é plena.

Gosto de sonhar, mas gosto também de viver o presente e o dia a dia em pleno

O que mais tem aprendido com o Jorge Fernando?

Tudo aquilo que a sua experiência, que terá sempre a mais do que eu, lhe ensinou. A cada palavra, gesto, pormenor, conselho…

A Fábia Rebordão já está a preparar novas músicas, como anunciou também numa publicação que fez no Instagram. Esta nova fase da sua vida vai servir de inspiração para estes novos temas?

Sim, estou a preparar coisas novas, músicas novas também. E sim, sou outra pessoa, com uma sensibilidade mais apurada, com todas as emoções ainda mais à flor da pele que a maternidade potenciou. Sinto que tenho muito mais para receber e, consequentemente, muito mais para dar.

Se conseguisse ver o futuro, o que gostava de encontrar daqui a dez anos? Que desejos gostava de ver cumpridos?

Não gosto muito de fazer essas previsões. Gosto de sonhar, mas gosto também de viver o presente e o dia a dia em pleno, porque muitas vezes perdemos muito do agora - porque pensamos muito no futuro e o presente muitas vezes é que define o futuro. Quero muito ser feliz agora, e que sejamos felizes agora!

Leia Também: "Ser mãe de primeira viagem é sempre um mundo de desafios"

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.