Ao navegar pelas páginas de redes sociais dos famosos portugueses certamente reparou em algo de anormal. Foram muitos os que partilharam uma imagem em branco acompanhada pela hashtag: Unidos pelo presente e futuro da cultura em Portugal.

O que está a acontecer?

Trata-se de um movimento que junta vários artistas e entidades ligadas ao mundo das artes e do espetáculo e que visa defender o setor da cultura no momento de crise que se vive na área devido à Covid-19.

Nas suas redes sociais, Rui Maria Pêgo partilhou a "carta aberta" que resultou do encontro entre as estruturas representativas do setor.

"Exmo. Sr. Presidente da República, Exmo. Sr. Presidente da Assembleia da República, Exmo. Sr. Primeiro-Ministro, Exma. Sra. Ministra da Cultura, nos dias 19 e 26 de abril de 2020 reuniram-se as seguintes estruturas representativas do setor: Fundação GDA; Plateia - Associação de Profissionais das Artes Cénicas; CENA-STE - Sindicato dos Trabalhadores de Espectáculos, do Audiovisual e dos Músicos; Performart - Associação Para As Artes Performativas em Portugal; Acesso Cultura; Rede - Associação de Estruturas para a Dança Contemporânea; e os grupos formais e informais – Precários Inflexíveis; Artesjuntxs; Artistas 100%; Comissão Profissionais das Artes; Intermitentes Porto e Covid; Independentes mas Pouco; M.U.S.A. - Movimento de União Solidária de Artistas; e Ação Cooperativista - Artistas, Técnicos e Produtores. Deste encontro saiu a clara afirmação de que estas estruturas e grupos, formais e informais, que representam trabalhadores da Cultura e das Artes, estão unidos e empenhados em dialogar para encontrar as medidas urgentes necessárias a implementar neste panorama de emergência gerado pela Covid-19. Ao mesmo tempo, consideramos fundamental agir com responsabilidade cívica, não deixando o futuro para trás", começa por ler-se na publicação do ator e radialista.

"Os casos em situação dramática que vão sendo conhecidos revelam a magnitude da calamidade. Dramática é também a suborçamentação crónica do Ministério da Cultura e a sua falta de capacidade de dialogar com o setor de forma informada, transparente e séria.Apelamos à criação de uma estratégia a curto, médio e longo prazo para a Cultura e para as Artes, que venha responder a necessidades urgentes (...)", explica.

A mensagem foi replicada por muitos outros nomes do espetáculo em Portugal, facto que representa a união que se vive entre aqueles que representam o panorama cultural português. Lucia Abreu, Sara Prata, Maria Rueff, Maria João Bastos, Manuela Couto, César Mourão e Dalila Carmo são apenas alguns das dezenas de atores que aderiram ao movimento.

Veja abaixo a publicação completa:

Leia Também: Há artistas em dificuldades. Raquel Tavares pede aos colegas que ajudem

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.