Carolina Deslandes não foi a única figura pública portuguesa a manifestar-se sobre o caso da morte de um homem negro desarmado nos EUA, na sequência de uma detenção. Nuno Markl também se mostrou revoltado com a história que está a correr o mundo e tem dado muito que falar.

"Ainda me lembro quando, nas primeiras semanas desta pandemia e do confinamento, se diziam coisas parvas do género 'pode ser que a Humanidade aprenda alguma coisa com isto', ou 'pode ser que toda a gente saia disto melhor'. Eu próprio acho que fui tentado por esse conto de fadas. Que triste pilha da mais refinada bullshit. Como se isso fosse possível, num mundo em que um gajo que se pavoneia no Facebook com um boné que diz 'Make Whites Great Again' é um profissional da polícia e mata um homem, George Floyd, que não só era inocente de um crime de uso de notas falsas, como não ofereceu qualquer resistência quando abordado por quem o viria a matar", começou por escrever na sua página de Instagram.

"Um homem definido pelos amigos como um 'gentle giant' e que foi humilhado e por fim morto por asfixia por um agente da lei. Punição? Até ver, foi demitido. E é isto. Agora, com o acréscimo da fúria e da frustração por ter perdido o emprego, decerto terá mais tempo livre para, em liberdade, prosseguir a sua missão de make whites great again. É o que temos", acrescentou de seguida.

Recorde-se que Madonna também se manifestou nas redes sociais. Leia Também: Madonna comenta caso da morte de homem negro desarmado. "Doloroso"

Leia Também: Manifestação contra morte de homem negro desarmado acaba em conflito

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.