Estreou-se no cinema aos 12 anos, ao lado de Jodie Foster em «Sala de pânico», mas foi como Bella Swan em «Crepúsculo» que se tornou numa estrela global.

Os editores do portal Eonline.com acabam de a considerar uma das celebridades mais inspiradoras de 2012, apesar do escândalo da traição que quase ditou o fim do seu relacionamento com o ator Robert Pattinson.

Nicolas Ghesquière, diretor criativo da Balenciaga, também se rendeu a Kristen Stewart, tendo escolhido a protagonista de «Branca de Neve e o caçador» para ser a imagem do novo perfume floral da marca, Florabotanica, a segunda fragrância feminina da marca, depois de Balenciaga Paris. As imagens da campanha foram fotografadas por Steven Meisel no dia 6 de janeiro de 2012, mas a fragrância só começou a ser comercializada em setembro. Em entrevista à editora de moda francesa Virginie Mouzat, a atriz norte-americana fala sobre a experiência e sobre a fragrância a que dá a cara.

É a primeira vez que representa uma marca e que faz uma campanha para a promoção de um produto. O que é isso representa para si?

Nunca tinha feito nada assim. Sinto-me orgulhosa. Nunca me imaginei associada a este mundo [da moda e da perfumaria] mas já acompanho as tendências de moda há muitos anos e o que gosto na marca Balenciaga é que é incrivelmente arrojada.

Em que medida é que esta marca mudou a sua visão sobre o mundo da moda? Se é que mudou...

Eu comecei a ter uma relação com o mundo da moda muito nova. É um ponto fulcral para uma atriz quando desfilamos pela passadeira vermelha. Numa fase inicial da minha carreira, eu preocupava-me apenas em fazer bem o meu trabalho. A preocupação com a moda vinha depois. Era uma coisa à parte. Ao fazer as fotografias para as imagens de promoção deste perfume, que são fotografias que contam uma história, senti-me pela primeira vez como parte integrante de um conceito a este nível.


Não foi um trabalho feito de um modo superficial. Representou efetivamente algo para mim. Quando gostas de algo e te envolves nisso, isso acaba por trazer cá para fora o melhor de ti. Acabas por dar mais de ti do que alguma vez esperarias. Como não estás a representar nenhum papel nem a interpretar nenhuma personagem, acabas por te soltar e por redescobrir-te a ti própria. Foi o que aconteceu.

Como descreveria o chic francês, um conceito de moda que é geralmente associado a esta marca?

As roupas que vestes transformam-te noutra pessoa e é engraçado porque eu sou de Los Angeles e, a não ser que a situação o exija, visto-me de uma forma muito simplista. Regra geral, nem sequer penso muito no que visto. Saio de lá e vou para Nova Iorque ou para Paris e, de repente, dou-me conta de que não estou a usar meias e que isso não é propriamente elegante em certas ocasiões.


Uma das coisas que as francesas têm é que andam de mota de saltos altos. Aqui isso não se vê. Ainda no outro dia estava a conversar com alguém de lá que me dizia que não existia exatamente um estereotipo da mulher francesa e eu discordo totalmente. O facto de utilizarmos a palavra chic nos EUA para descrever alguém chique comprova isso mesmo.

Se o perfume a que dá a cara fosse uma história ou um filme, o que seria?

O Niholas [Ghesquière] já tinha o seu próprio conceito visual para as imagens de promoção do perfume. A imagem de uma rapariga a passear por um jardim é muito bonita e intensa mas também perigosa, uma vez que nesse jardim botânico existem flores estranhas e perigosas, que acabam por despertar uma curiosidade genuína. Ela [a figura da atriz no anúncio] acaba por circular pelo jardim e colher flores que, apesar de belas, a podem matar.


Veja na página seguinte: A relação entre a Alice no país das maravilhas e o perfume a que a atriz
norte-americana dá a cara

O perigo pode, então, ser uma das três palavras que usaria para descrever esta fragrância?

Esta pergunta é difícil... Mas, sim, perigosa, seguramente. A outra seria francês, uma vez que é um perfume francês. A terceira seria fresco, porque acaba por ser um perfume muito fresco.

O problema de muitos perfumes é que, quando os colocamos, numa fase inicial, põe-nos a cheirar a velha. Deve ser algum produto químico, não sei explicar. Com este, isso não acontece. É mesmo fresco. Seria então essa a terceira palavra que usaria para o descrever. Fresco.

Voltando à pergunta do filme, a que película em concreto associaria este perfume?

É muito «Alice no país das maravilhas», acho. Penso que será o que mais se aproxima...

E, no seu caso, sente-se a Alice?

Sim... [sorri] Completamente!

E, se este perfume fosse uma pessoa, como descreveria a sua personalidade?

Seria, como se pode deduzir pela imagem e pelo conceito do anúncio que o Nicholas criou, alguém destemível, alguém com uma personalidade muito forte. É preciso ser corajoso e confiante para passear no meio daquelas flores. Isso é inquestionável. E muito determinado...

Ousado, até?

Sim. É próprio para pessoas que não têm problemas em assumir-se e afirmar-se.

Revê-se nesse tipo de pessoas?

Sim, faço por ser assim todos os dias!

Qual é a sua flor favorita?

Gosto muito de gardénias.

Tem fãs muito novas, que seguramente vão querer usar este perfume. Que conselhos é que lhes daria para tentarem convencer os pais a oferecer-lho?

Dir-lhes-ia para se portarem bem. [hesita e faz uma pausa] Não sei o que mais lhes diria...

A jaqueta que usa nas fotos da campanha do perfume tem sido muito elogiada. Foi feita pela marca exclusivamente para si?

Não, já existia. É minha. Já a tenho há muito tempo e gosto imenso dela. É quase como se fosse a minha segunda pele.

Qual é a cor que, na sua opinião, melhor corresponde a este perfume?

Muito provavelmente o vermelho, com um toque de amarelo. Não é evidente quando se olha para o frasco ou se sente o cheiro mas, sim, são essas as cores a que o associo.

Cores fortes, portanto?

Sim, cores muito vivas.


Veja na página seguinte: A relação da atriz com os perfumes da sua vida

Muitas pessoas dizem que, ao cheirar um perfume, a sua fragrância desperta emoções e sentimentos. O que é que este desperta em si?

É engraçado, eu tenho 22 anos, já usei vários perfumes diferentes mas não era propriamente apegada a um cheiro. Este eleva-me o espírito. É uma resposta muito vaga, eu sei, mas acaba por despertar também em mim alguma curiosidade, quando o uso.

Procuro sempre identificar os diferentes aromas que o compõem. Tem um cheiro diferente dos demais. Tem um odor quente que o diferencia, apesar de ter uma base muito floral. Mas não cheira a flores.

Não consigo explicar mas acaba por ser um cheiro muito natural...

Se tivesse que descrever este perfume usando as suas próprias palavras, esquecendo as descrições técnicas, as frases feitas do marketing e as imposições dos promotores da fragrância, como é que o descreveria?

Acho que é um perfume sedutor e natural...

Natural como? É uma questão de empatia?

Não tem a ver com isso. Tem a ver com o próprio cheiro, que não é um cheiro artificial. Não tem um aroma artificial. É mesmo natural. E é curioso porque é juvenil e maduro ao mesmo tempo. Quando o uso, sinto-me mais velha, mais madura. Mas ao mesmo tempo é muito juvenil. Não sei se me estou a fazer entender...

E também se sente mais feminina quando o usa?

Sim e não, depende do meu estado de humor. Posso sentir-me qualquer uma dessas coisas...

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.