Em novembro, no programa de televisão "Passadeira vermelha", transmitido pela SIC, a jornalista Joana Latino, uma das comentadoras, comparou o peito de Júlia Palha, que o vestido que usou numa gala da revista GQ colocava em evidência, a "uma prateleira". Na altura, a atriz, incomodada, reagiu nas redes sociais. "Que triste, em pleno 2018, um comentário destes ser tecido por uma mulher", escreveu no texto que partilhou.

Agora, em entrevista à edição de maio da revista Saber Viver, já nas bancas, Júlia Palha voltou a abordar o assunto. "A situação tomou proporções que eu não esperava", assume. "Como disse, escrevo sobre tudo o que me rodeia e a verdade é que eu já sofri com isso e sei que há muitas mulheres, jovens e até crianças que sofrem", afirma a atriz, um dos rostos da campanha com a hashtag #NoOneCanJudgeMe da Intimissimi.

"A única ideia que pretendia transmitir na altura é que devemos ter cuidado com a maneira como falamos dos outros. Não sabemos como a pessoa se sente relativamente ao seu corpo e o impacto que um simples comentário pode ter na vida de alguém. Tudo o que não venha por bem, mais vale ficar em casa", considera Júlia Palha que, na entrevista, revela ainda a admiração que tem por Rita Blanco e Vitória Guerra.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.