O jornalista Martin Bashir, posto em causa por práticas enganosas numa entrevista da BBC a Lady Diana em 1995, apresentou hoje desculpas aos príncipes William e Harry, mas contestou que tenha ajudado a alimentar a "paranoia" da princesa.

Mais de 25 anos após uma entrevista a Diana que foi explosiva para a monarquia britânica, um relatório independente denunciou na quinta-feira os métodos "enganosos" utilizados pelo jornalista para a obter, levando a BBC a apresentar desculpas.

Entrevistado pelo Sunday Times, Bashir declarou-se "profundamente desolado" pelos filhos da princesa, William e Harry. "Nunca tive a intenção de prejudicar Diana de forma alguma e não creio que o tenhamos feito", disse ao jornal.

William considerou que a entrevista contribuiu para agravar o relacionamento entre os seus pais e "alimentou os medos, a paranoia e o isolamento dos últimos anos" da vida de Diana.

Harry, por seu turno, traça mesmo uma ligação entre a morte da sua mãe e "o efeito cascata dessa cultura de exploração e práticas antiéticas".

Diana morreu num acidente rodoviário em Paris em 1997, com 36 anos.

"Não creio que possa ser responsabilizado por muitas das coisas que estavam a acontecer na sua vida", disse Bashir.

"Sugerir que sou individualmente responsável é irresponsável e injusto", adiantou.

A entrevista de 1995 foi vista por perto de 23 milhões de telespetadores apenas no Reino Unido.

Bashir assegurou ao Sunday Times que a entrevista foi realizada nos termos estabelecidos por Diana e que os dois continuaram bons amigos depois.

O jornalista trabalhava para a BBC como correspondente encarregado do tema religião até à semana passada, quando se demitiu por motivos de saúde, pouco antes da divulgação do relatório independente.

Este critica a BBC pela gestão do caso e desencadeou uma crise no grupo de radiodifusão pública britânica.

Um inquérito interno concluiu que o jornalista teve "um comportamento desonesto" para garantir uma entrevista com a princesa Diana em 1995, numa "violação grave" das normas da emissora britânica.

O inquérito pretendeu esclarecer as acusações feitas pelo irmão de Diana, Charles Spencer, de que o jornalista Martin Bashir usou documentos falsos e outras manobras para persuadir Diana a aceitar dar a entrevista.

Spencer alegou que Bashir mostrou extratos bancários falsos relacionados ao ex-secretário particular da irmã e de outro ex-membro da família real com o objetivo de obter acesso à princesa.

A entrevista, na qual Diana disse que "éramos três neste casamento" (referindo-se ao relacionamento do príncipe Carlos com Camilla Parker-Bowles) foi vista por milhões de telespetadores e abalou a monarquia.

Leia Também: William acusa falha da BBC de contribuir para "o medo e paranóia" da mãe

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.