Brad Pitt considera que Angelina Jolie está a tentar prejudicá-lo ao revelar em público detalhes da zanga que levou ao divórcio dos dois, em 2016, revela uma fonte à revista People.

Em documentos do FBI a que a publicação teve acesso, a atriz alega que Pitt, enquanto estava embriagado, ameaçou-a a ela e aos seis filhos durante um voo de França para Los Angeles, a 14 de setembro de 2016.

A investigação acabaria por ser encerrada em novembro, sendo que o ator não foi alvo de qualquer acusação.

Uma fonte próxima de Pitt nota que tanto o ator como Jolie tiveram os documentos durante seis anos, sendo que a artista pretendia “reviver um assunto que era doloroso para toda a gente e que tinha sido resolvido há seis anos”.

“Eles investigaram. Prepararam os materiais, reviram-nos juntos e decidiram não prosseguir com acusações”, sublinha a fonte em questão.

“Quais são as motivações de uma pessoa que gasta tempo em tribunal e recursos públicos para fazer um pedido anónimo aos documentos de um processo que já tem há anos? Só há uma: infligir o máximo de dor no ‘ex’. Não há qualquer vantagem com isto. É doloroso para os filhos e para a família que isto se torne público”, defendeu.

Recorde-se que Jolie alegou que Pitt agarrou-a, empurrou-a e gritou com ela no avião, assustando os filhos com tal comportamento.

“Isto não é um documento factual. É algo que ela diz que aconteceu. Foi investigado e não resultou em acusações. É usual que este tipo de cisas não sejam reveladas”, concluiu a fonte em questão.

Leia Também: Angelina Jolie deixa filha na universidade: "Vou começar a chorar"

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.