Se estava a pensar ir apanhar um pouco de sol a Cabo Verde em fevereiro, reveja os seus planos, porque essa viagem não é a mais recomendada para essa altura do ano. «A temperatura ainda não provocou subidas no estado de ânimo geral», ironiza João Geraldo, agente de viagens. Pela mesma ordem de ideias, esqueça também Moscovo em outubro. «Nessa altura, a cidade está cara como sempre com a agravante do cinzento da poluição permanente», acrescenta.

Para que possa visitar algumas das mais fantásticas paisagens do mundo na altura certa, rentabilizando a diversão e o seu investimento, elaborámos-lhe um roteiro para os 12 meses do ano, para que possa programar atempadamente as suas férias. Para lhe facilitar ainda mais a vida, incorporámos-lhe os conselhos do médico infecciologista Jorge Atouguia. Siga-os e... boas estadias!

JANEIRO

Onde ir:

- Miami (EUA)

É a época alta de Miami. Os visitantes do norte do país invadem a cidade, os bares e os restaurantes enchem-se de animação e realiza-se a Art Basel Miami Beach, uma das mais renomadas feiras de arte internacionais. Um evento imperdível que traz ainda mais dinamismo a esta urbe.

- Panamá e Costa Rica (América Central)

Esta é uma boa altura para se deslumbrar com a beleza selvagem das suas costas. Aproveite para nadar com os golfinhos, uma atividade muito popular entre os turistas que visitam esta zona.

- Mali (África)

A época das chuvas terminou. Djenne, a cidade com a maior mesquita do mundo muçulmano, acolhe o consagrado Festival do Deserto, um evento cultural que dinamiza toda a região.

Cuidados a ter

À excepção de Miami, deve ter cuidado com as doenças motivadas pela ingestão de água e pelo consumo de alimentos locais. Vacine-se contra a febre tifoide, a hepatite A e a febre amarela antes de viajar para o Mali. Leve repelente de insetos para se proteger das doenças por mosquitos, como é o caso da malária (no Mali e algumas zonas do Panamá e da Costa Rica) e do dengue (Panamá e Costa Rica).

A evitar:

- Canadá e Alasca (EUA)

Frios, cinzentos e em estado de congelação emotiva. Se gosta de diversão, o melhor é começar a pensar já noutro destino.

FEVEREIRO

Onde ir:

- Buenos Aires (Argentina)

Tango, praia, gente bonita e muitos mercados de rua. Apesar de ser fascinante em todas as alturas do ano, a capital da Argentina tem um encanto especial nesta altura.

- Belize (América Central)

Mais tranquilo do que os restantes vizinhos das Caraíbas mas não menos interessante, convida ao lazer e à evasão.

- Ilhas Canárias (Espanha)

Temperatura amena e muita folia no Carnaval de Santa Cruz, um dos eventos culturais que mais dinamiza as ilhas por esta altura.

Cuidados a ter

A Argentina e as Canárias não exigem precauções anormais mas o Belize obriga a cuidados redobrados com as doenças provocadas pela ingestão de água, pelo consumo de alimentos e pelas picadas de mosquitos (dengue e malária). Vacine-se contra a febre tifoide e a hepatite A antes de ir e leve um agasalho para a noite, sobretudo se for para o interior.

A evitar:

- Cabo Verde e São Tomé (África)

Pouca animação e menor oferta de programas turísticos tornam estes destinos menos interessantes nesta altura.

Veja na página seguinte: Os destinos mais recomendados na primavera

MARÇO

Onde ir:

- Peru (América do Sul)

Há menos confusão para visitar as ruinas de Machu Picchu, o que facilita as deslocações. A vegetação envolvente está mais verde, o que a torna mais bela e acaba por se revelar outra vantagem.

- Cidade do Cabo (África do Sul)

Diversidade incomparável e paisagens deslumbrantes com a chegada da primavera. Se esta cidade lhe desperta curiosidade, esta é uma boa altura para a visitar.

Cuidados a ter

As doenças motivadas pela ingestão de águas e alimentos locais ou derivadas das picadas de mosquito (existe malária na zona amazónica do Peru) implicam uma vigilância acrescida. Vacine-se contra a febre tifoide e a hepatite A antes de ir. Se for para a zona amazónica do país, faça-o também contra a febre amarela. Na Cidade do Cabo, por razões de segurança, não se afaste das rotas turísticas.

A evitar:

- Rio de Janeiro (Brasil)

A violência aumenta no período do Carnaval e já nem Gisele Bundchen pisa no Sambódromo!

ABRIL

Onde ir:

- Paris e Nice (França)

Frescas como um perfume Chanel em plena primavera, estas cidades, cosmopolitas e sedutoras. pedem para ser percorridas a pé nos dias em que a chuva dá tréguas.

- Ilhas Fiji (Pacífico Sul)

Preços mais baixos, águas quentes, calmas e serenas fazem desta ilhas um verdadeiro paraíso na terra.

- Flórida (EUA)

Os dias começam a aquecer, as praias enchem-se de conchas e os preços ainda não inflacionaram, o que acaba por lhe gerar uma folga que pode aproveitar para as suas compras.

- Kyoto (Japão)

As ruas e as praças cobrem-se de flores para receber o famoso festival de jardins, um evento que anualmente atrai multidões à cidade.

Cuidados a ter

Nenhuns em particular, à excepão das Ilhas Fiji, onde podem ocorrer doenças motivadas por águas e alimentos.

A evitar:

- Roma e Florença (Itália)

Multidões e cappuccinos com o preço inflaccionado de uma mala Gucci, tal como também sucede em Veneza, outra cidade a incluir nesta lista.

MAIO

Onde ir:

- Luxor e Alexandria (Egito)

Estão novamente na moda, cheios de um glamour de outros tempos e a temperatura está mais amena, numa altura em que o Cairo passou a ser uma cidade menos segura.

- Indonésia (Sudeste Asiático)

A lua cheia de maio dá outro brilho aos templos e o Waisak Festival atrai multidões a Java. Duas das muitas razões que tornam a Indonésia ainda mais sedutora nesta altura.

- Istambul (Turquia)

Ainda não tem as enchentes de turistas do verão e há menos filas à entrada dos muitos museus e monumentos que esta imponente cidade tem para ver. Aproveite uma das muitas esplanadas para saborear um café turco ou um pudim de arroz. Não vai querer outra coisa!

Cuidados a ter

Além das doenças causadas por águas e alimentos nestes três países, também é necessário precaver-se dos mosquitos se visitar as zonas rurais da Indonésia, onde existe malária e dengue. Antes de ir, vacine-se contra a febre tifoide e a hepatite A.

A evitar:

- Tunísia (África)

Nesta altura, a temperatura instável, as marés vivas e a pouca animação tornam este destino menos interessante, apesar da descida dos preços.

Veja na página seguinte: Os destinos a evitar no verão

JUNHO

Onde ir:

- Ilhas Virgens Britânicas (Caraíbas)

Não existem multidões de turistas de máquina fotográfica em punho, as praias estão desertas e as condições atmosféricas favorecem a prática de mergulho. Perfeito, não?

- Eslovénia (Leste Europeu)

Não tem a confusão da vizinha Croácia e a temperatura está muito convidativa nesta altura do ano.

- Jerusalém e Telavive (Israel)

Únicos, mágicos e dourados pelo tempo e pela polémica. Deixe-se perder nas ruas mais antigas e aproveite para visitar estabelecimentos comerciais ancestrais.

Cuidados a ter

Nas Ilhas Virgens Britânicas, as doenças causadas por águas e alimentos exigem precauções. Em Israel, a insegurança é o problema maior.

A evitar:

- Madrid e Barcelona (Espanha)

Os primeiros saldos transformam as ruas comerciais num inferno de sacos ambulantes.

JULHO

Onde ir:

- Ilhas Galápagos (Equador)

Está no máximo do seu esplendor. Avistam-se facilmente baleias a passear com as crias e rochas acolhem o regresso dos pássaros migratórios.

- São Francisco e San Diego (EUA)

Ambiente fervilhante nestas cidades satélites da cultura cool e liberal.

Cuidados a ter

Nas Ilhas Galápagos, precavina-se para evitar doenças provocadas pela ingestão de águas e alimentos.

A evitar:

- Casablanca (Marrocos)

Tórrida e poeirenta, a cidade que ficou imortalizada num emblemático filme de «Hollywood» não é das mais convidativas nesta altura. Se faz mesmo questão de visitar este país, fuja para Essaouira.

AGOSTO

Onde ir:

- Madagascar e Bali (Indonésia)

Paisagens de sonho, dias tranquilos e solarengos e noites amenas em bares de rua e esplanadas de praia. Um verdadeiro sonho, não?

- Saint-Tropez (França) e Monte Carlo (Mónaco)

O melhor window-shopping (ver montras) faz-se lá e, por esta altura, começam os saldos.

Cuidados a ter

Vacine-se contra a febre tifoide e a hepatite A se for para Madagascar ou para Bali. As doenças derivadas do consumo de água e alimentos mal higienizados apelam a cautelas redobradas, assim como as picadas de malária (em Madagascar e nas ilhas à volta de Bali) e dengue (Bali). O uso de protetores solares com grau de protecção baixa comprados em supermercados de ocasião também são de evitar.

A evitar:

- Deserto do Namibe (África)

A não ser que consiga andar com uma piscina transportável atrás, é melhor riscar este destino dos seus planos para esta altura.

Veja na página seguinte: Os países para onde (não) deve viajar no outono

SETEMBRO

Onde ir:

- Los Roques (Venezuela)

Praias quase desertas e um sol a brilhar num azul a perder de vista.

- Costa de Amalfi (Itália)

As invasões de turistas já terminaram, o trânsito melhora e as belas aldeias e vilas costeiras transpiram beleza e serenidade.

Cuidados a ter

Precauções com as doenças causadas por águas e alimentos em Los Roques na Venezuela.

A evitar:

- Veneza e Trieste (Itália)

Repletas de turistas a aproveitar as promoções de fim de estação, são de fugir nesta altura.

OUTUBRO

Onde ir:

- Ilhas Seychelles (Oceano Índico)

O exotismo do Festival Crioulo na capital Mahé é imperdível e as próprias ilhas têm paisagens de sonho, daquelas que ilustram catálogos de viagem e que fazem sonhar o ano inteiro.

- Croácia (Leste Europeu)

O cheiro a lavanda invade os campos e a temperatura convida a passeios nas cidades medievais.

- Estocolmo e Uppsala (Suécia)

Irreverentes, belas, altivas e repletas de segredos por desvendar. O único inconveniente são os preços.

Cuidados a ter

Nas Ilhas Seychelles, é necessário ter cuidado com as águas e os alimentos que ingere. Prepare-se para as enchentes nos hipermercados. Começa a corrida aos livros escolares em edição suplementar.

A evitar:

- Moscovo (Rússia)

Cara como sempre e com o cinzento da poluição permanente.

NOVEMBRO 

Onde ir:

- Zanzibar (Tanzânia)

Sente-se o perfume irresistível da canela e dos cominhos no ar mas tudo em Zanzibar respira a sonho. Aproveite!

- Ilhas Andaman e Nicobar (Índia)

Praias de um mar azul profundo apelam a mergulhos retemperadores.

- África do Sul (África)

A época das chuvas já terminou. Os campos enchem-se de verde e de flores.

Cuidados a ter

As doenças causadas por mosquitos (a malária em Zanzibar, nas Ilhas Andaman, em Nicobar e no Kruger Park da África do Sul e o dengue nas Ilhas Andaman e Nicobar) obrigam a uma proteção reforçada. As doenças causadas por águas e alimentos também. Antes de ir, vacine-se contra a febre tifoide, a hepatite A e a febre amarela (apenas para Zanzibar).

A evitar:

- Lima e Cuzco (Peru)

Recomeçam as enchentes de turistas em versão Shirley McLaine.

Veja na página seguinte: Os melhores cenários para o Natal e o fim de ano

DEZEMBRO

Onde ir:

- Nova Zelândia (Sudoeste do Oceano Pacífico)

A vegetação é inebriante nesta altura. Se gosta de desportos radicais, as Ilhas Bay são o paraíso do bungee jumping.

- Edimburgo e Loch Lomond (Escócia)

Passado e modernidade convivem tranquilamente.

Cuidados a ter

O frio da Escócia requer agasalhos à altura. Perigo de gripes e constipações. Pelo sim, pelo não, leve uns rebuçados do Dr. Bayard na mala...

A evitar:

- Oslo (Noruega)

Se não é desportista radical, esqueça as aulas de patinagem artística pela rua!

Turismo proibido

O que não pode mesmo fazer nos países menos industrializados:

- Beber água da torneira

- Ingerir bebidas com gelo

- Comer alimentos crus mal lavados

- Fazer refeições pouco cozinhadas

- Não usar repelente de insectos nem roupas protetoras onde existem insectos perigosos

- Viajar sem vacinas quando recomendadas

Texto: Luis Batista Gonçalves com João Geraldo (agente de viagens) e Jorge Atouguia (médico especialista em infecciologia e medicina tropical)