Todas as alturas são tentadoras mas exigem períodos específicos, como os das férias, dos meses de verão e das festividades natalícias, que exigem racionalidade e contenção. No campo da ocupação do tempo livre e dos presentes, como diz Pedro Maia Gomes, economista, "as palavras-chave são originalidade, criatividade e internet". Existem diversos sites que, todos os dias, oferecem promoções em lojas, restaurantes, espetáculos.

Em vez de comprar livros, CD e DVD novos, pesquise nos sites de leilões e/ou de vendas e trocas online, onde encontrará verdadeiras pechinchas ou, então, inscreva-se na biblioteca mais próxima e use os serviços de empréstimo. Vá também ao cinema, ao teatro e aos museus pagando menos. Basta ver quais são os dias em que os preços são mais baixos. Descubra, de seguida, outros sítios onde poderá gastar menos.

O que deve mudar nas suas viagens

Faça viagens low cost. Evitar as épocas altas (agosto, final de julho, Páscoa e fim de ano), ser flexível nas datas e estar atento a promoções são os conselhos de Filipe Morato Gomes, jornalista especialista em viagens, para se viajar em tempos de crise. Pesquise nos sites que mostram todos os voos disponíveis, como o www.skyscanner.net, o www.rumbo.pt e o www.momondo.pt, só para referenciar alguns.

Nos sites ou nas aplicações móveis destas e de outras marcas que disponibilizam o mesmo serviço, encontra as companhias aéreas de baixo custo e as tradicionais, que também têm vindo a baixar os preços. "Há destinos onde é quase sempre mais barato viajar de forma organizada, como por exemplo, Cabo Verde, São Tomé, a Riviera Maia, a República Dominicana ou o nordeste do Brasil", sublinha o especialista.

Em qualquer dos casos, pode poupar se comprar com muita antecedência ou aproveitar promoções de última hora, os famosos last minute. As companhias de aviação low cost, como a easyJet, a Transavia e a Ryanair, à semelhança de outras (re)conhecidas pelos preços competitivos que praticam, como a Aigle Azur, a Wizz Air, a Blue Air, a Norwegian e a Vueling, são outra das opções a explorar.

O tipo de dormidas em que deve investir

Não pense apenas em muitas estrelas. "É importante que as pessoas percebam que podem economizar um pouco no hotel, já que é só para dormir", recomenda Filipe Morato Gomes. Pode optar pelos "hostals, pelo arrendamento de um apartamento ou pelo couchsurfing", sugere o especialista. "Se preferir ficar em hotéis, esteja atento à maior central de reservas de hotéis online, o Booking.com", diz.

À semelhança de outros, este site "faz com regularidade promoções flash de 50% para os subscritores das suas newsletters e em vez de pagar 100 €, gasta só 50 €", sublinha o jornalista. As plataformas de arrendamento temporário, como o Airbnb, atualmente muito em voga e utilizado por milhões de pessoas de diferentes partes do mundo, são outra forma de conseguir mais conforto e qualidade por menos dinheiro.

Os cuidados a ter quando escolher férias no estrangeiro

Privilegie destinos baratos. "Viajar pode ser mais barato do que viver a nossa vida diária em Portugal", afirma Filipe Morato Gomes. O sudeste asiático e países como Singapura, Tailândia, Camboja e Laos são um bom exemplo disso. "Lá, consegue-se viver com um máximo de 25 € por dia, já com dormida. Só tem de procurar um voo barato e, se quiser deslocar-se entre países, encontra viagens económicas nas low cost locais", acrescenta.

O que pode cortar nos almoços e nos jantares

Faça as refeições em casa para poupar para viajar. Para desfrutar de uma refeição entre familiares e/ou amigos, não tem forçosamente de sair do conforto do seu lar. "Convide-os e até pode pedir que cada um traga um prato ou fazer um concurso de sobremesas", aconselha Ana Galán, escritora. Se quiser fazer o jantar sozinho, pode seguir os conselhos de Anabela Almeida, publicitária.

"Comece com uma entrada tradicional, como farinheira ou espargos com ovos mexidos, seguida por uma sopa de legumes e um prato principal, que pode ser frango com limão no forno acompanhado com arroz branco. Para terminar, uma mousse de manga", sugere. "Pense também em atividades para fazer após o jantar. Tire do armário os jogos de mesa", recomenda Ana Galán. "A diversão está garantida", assegura.

Texto: Rita Caetano e Luis Batista Gonçalves (edição digital) com Anabela Almeida (publicitária), Ana Galán (escritora), Filipe Morato Gomes (jornalista, especialista em viagens), Helena Cid (nutricionista), Helena Penteado (consultora de imagem), Joaquim Madrinha (jornalista, especialista em finanças pessoais), Pedro Lobo do Vale (médico de clínica geral), Pedro Maia Lopes (economista), Pedro Queiroga Carrilho (especialista em finanças pessoais) e Susana Albuquerque (coach de finanças pessoais)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.