Apaixonadamente independente para quem gosta de viver independentemente de tudo. Este é o slogan do Hotel Muse, uma luxuosa unidade hoteleira de cinco estrelas localizada em Langsuan, uma das zonas residenciais mais desejadas de Banguecoque, capital da Tailândia. Em 2015, foi nomeado para três categorias nos World Luxury Hotel Awards. Além de Melhor Boutique Hotel de Luxo, foi reconhecido como Hotel de Cidade de Luxo e Design Hotel de Luxo.

O guia de turismo independente Condé Nast Johansens também já o elogiou. A revista Inspire Travel incluiu-o na lista dos melhores 25 hotéis e resorts do mundo. Inspirada na corrente cultural e artística que marcou a Europa e influenciou a alta sociedade tailandesa durante a época do governante Rama V, a decoração desta unidade hoteleira, que integra a rede MGallery Memorable Hotels by Accor, alia o cosmopolitismo chique à elegância de uma nova era de ouro asiática.

O espaço aposta numa diferenciação que privilegia as cores negras, ao ponto de já lhe terem chamado o hotel mais escuro de Banguecoque. A opulência que o caracteriza torna-o único. Pernoitar nele, como fizemos, é uma experiência hedonística que fica na memória. Elementos conceptuais decorativos que refletem uma indulgência sedutora fazem-se notar nas áreas comuns e nos 174 quartos e suites.

Espaços que combinam padrões europeus com motivos ornamentais asiáticos. É assim nas habitações, nos bares e restaurantes do hotel e na receção, onde, por baixo de impressionantes arcos e de um estilo decorativo irrepreensível, o balcão tradicional foi substituído por pequenas secretárias de apoio personalizadas, numa clara aposta num serviço também ele diferenciador. Veja a galeria de imagens deste hotel.

Quartos inspirados na cosmologia budista

A cosmologia budista considera que o universo é composto por vários sistemas mundiais, sendo que cada um desses possui um ciclo de nascimento, desenvolvimento e declínio que dura bilhões de anos. Num sistema mundial existem seis reinos, que por sua vez incluem vários níveis, num total de trinta e um. Foi a esta filosofia que a administração do hotel foi buscar os nomes que distinguem as seis categorias de habitações que disponibiliza, Jatu, Dowadueng, Yama, Dusid, Nimman e Paranim.

Com 39 m2, a Jatu Deluxe, a Dowadueng Corner Deluxe e a Yama Executive são as mais modestas e simples do elevado padrão de qualidade desta unidade hoteleira, que consegue surpreender até os mais sofisticados com a Dusid Duplex Suite, um pequeno apartamento com 76 m2. Maiores que as habitações dessa tipologia só mesmo as Nimmam Suites, com uma área que varia entre os 84 e os 111 m2. A joia da coroa é, contudo, a Paranim Penthouse, um apartamento na cobertura com 216 m2.

Com sala de estar, sala de jantar, casa de banho com banheira para dois, cozinha equipada e três terraços com uma fabulosa vista sobre a cidade, é o suprassumo da sofisticação asiática. Mas não precisa de pagar uma pequena fortuna para usufruir de todo o conforto do Hotel Muse, onde um quarto Muse Deluxe King custa, em média, por noite, menos de 150 €, sem pequeno-almoço.

Por apenas mais cerca de 6 €, pode reservar o mesmo quarto com a primeira refeição matinal, internet ilimitada e late check-out. A diferença compensa largamente. Veja também a reportagem sobre o The Siam Hotel, o hotel sonhado que é um sonho de hotel, outra das luxuosas unidades hoteleiras de Banguecoque.

O rooftop bar que já foi o melhor de toda a Ásia

O segundo filme norte-americano da saga "A ressaca" veio chamar a atenção para os bares das coberturas dos hotéis de Banguecoque. Em 2013, o rooftop bar do Hotel Muse foi considerado o melhor bar de toda a Ásia e basta ir lá para perceber porquê. Além da vista sublime sobre a profusão de edifícios e arranha-céus da capital tailandesa que o terraço oferece, a decoração e os pormenores justificam o galardão.

Reservado e distinto, localizado no 24º andar, num espaço onde predomina o cabedal escuro e a madeira trabalhada, o Blind Pig by The Speakeasy é um dos bares mais bem decorados do mundo. Um pouco mais abaixo, no 19º, não muito longe da sala onde são servidos os pequenos-almoços, que dispõe mesmo de reservados exclusivos, como aquele onde saboreámos a primeira refeição do dia, fica a piscina panorâmica, com um deck de espreguiçadeiras que convidam a uma fruição tranquila.

Quem não tem feitio para estar parado pode sempre ir treinar para o ginásio da unidade hoteleira, equipado com máquinas de cardio-fitness e aparelhos de musculação de última geração. Provar a gastronomia local ou saborear tranquilamente uma bebida são outras das opções a considerar. E escolha é o que não falta!

Aberto entre as 7 e as 23 horas, Le Salon, um dos estabelecimentos de restauração do Hotel Muse é um espaço que vai variando consoante a hora do dia, adaptando-se à ocasião. De manhã, serve pequenos-almoços gourmet. Ao almoço, refeições leves. À tarde, chá com biscoitos e outras delícias e, à noite, bebidas e cocktails, alguns deles exclusivos. A melhor culinária local e internacional pode ser saboreada no Medici Kitchen & Bar, na cave, o principal e mais majestoso restaurante da unidade hoteleira.

Bifes ao som de jazz

Num espaço que respira requinte por todos os lados, degustar um bom bife enquanto assiste a um concerto de jazz ao vivo é outro dos privilégios reservados aos clientes do Hotel Muse. No Babette’s - The Steakhouse Bangkok, no 19º andar, o mesmo da piscina, esse desejo materializa-se. No 24º e no 25º andar, o The Speakeasy, que tem ligação ao Blind Pig at The Speakeasy, serve uma cozinha de fusão que não fica atrás das outras opções gastronómicas propostas.

Mas, por muito bom que o hotel seja, Banguecoque é uma cidade que pede para ser vivida intensamente. A agitação quotidiana, com a profusão de gente, de táxis e de tuquetuques, não deve ser um fator condicionante. Para além dos deslumbrantes templos budistas, não perca o Museu Jim Thompson, a antiga casa de um empreendedor norte-americano que reuniu um espólio de peças de peças de arte antiga de provenientes de todas as regiões da Tailândia.

O Museu das Bonecas de Banguecoque, o Parque Lumpini e o Grand Palace de Banguecoque, residência oficial da realeza local desde 1782, são outras das atrações a incluir no seu roteiro. Entre uma visita ao famoso mercado flutuante que existe nos arredores da cidade e uma massagem em qualquer uma das ruas mais turísticas, não deixe também de dar um salto a três dos melhores centros comerciais daquele país asiático. O Central Chidlom, o Central World e o Siam Paragon ficam todos nas proximidades do hotel.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.