A jornalista Manuela Moura Guedes imortalizou-os no êxito (com letra de Miguel Esteves Cardoso) que marcou a sua curta carreira de cantora mas a sua fama já vem de longe.

A cultura do cardo, terá começado
no Norte de África há 2000 anos,
mas era muito apreciada pelos antigos romanos. Plínio censurou mesmo os seus
contemporâneos porque gastavam muito dinheiro nos cardos.

Trata-se de uma planta que pode atingir mais de 1,50 metros de altura, tem uma raiz muito espessa, com folhas superiores
a 1 m de comprimento, de cor verde e forma recortada. Por vezes, os cardos encontram-se escondidos
nas matas e só os burros têm a capacidade de os encontrar e comer, pois gostam muito da inflorescência.

Ciclo biológico: Pode ser perene (3-5 anos) mas cultiva-se como uma planta anual
Variedades mais cultivadas: Gigante Romana, Bianco avorio, Gigante inerme, Cardo de Tours, de Hespanha, talos vermelhos e ainda Puvis, Branco melhorado, Inerme e Boloñés
Parte comestível: Folhas (pecíolos e nervuras médias)

Condições Ambientais

Solo: Gosta de terrenos férteis, ricos em matéria orgânica, frescos, profundos e textura limo-argilosa. O pH deve situar-se entre o 6,5-8
Zona climática: Temperada
mediterrânica

Temperaturas:
Óptimas: 13-24ºC
Mínimas: -2 a 5ºC
Máximas: 30-35ºC
Temperatura
de germinação:
22-27ºC
Exposição solar: Sol pleno ou semi-sombra

Valor nutricional: É rica em fibras (5,4%) e sais minerais

Usos: As folhas consomem-se cozidas, em sopas e noutras receitas. As folhas, também são utilizadas na medicina natural, para perturbações digestivas, redução do colesterol e doenças do fígado.

As flores são utilizadas como coalho no fabrico de certos queijos, possuem enzimas coagulantes, chamadas cardosinas. Actualmente, é também utilizado para o fabrico de energia, para aquecimento, electricidade ou biodiesel.

Veja na página seguinte: As melhores técnicas para plantar cardos

Tempo de germinação: 7-15 dias
Profundidade: 1-2 cm
Compasso: 80 x 100-120 cm
Transplantação: Quando tiver 10-15 cm ou 5-6 folhas
Consociações: Com favas, rabanetes, cebolas e cenouras

Rotações: Não deve voltar ao terreno durante os 3-4 anos seguintes. Não deve ser semeada em terrenos que tiveram, alface, chicória, endívia, alcachofra, girassol, acelga, espinafre, aipo, melancia, tomate e escarola.

Os cerais de Inverno e as batateiras, podem preceder esta cultura. O milho e as favas podem ocupar o espaço a seguir ao cardo.

Amanhos: O cardo deve ser atado e branqueado com telas (polietileno negro), palha ou fazendo uma amontoa durante um mês; monda de ervas manual

Regas: Por aspersão ou infiltração lateral. Deve-se regar muito, de cada vez, mas espaçadamente.

Texto: Pedro Rau (engenheiro hortofrutícola)

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.