Nos meses de calor, através da água e do substrato, as plantas de exterior em vaso recebem tudo o que necessitam. Por isso, o segredo é que contem sempre com ambos. Regar e renovar a camada superior da terra são, por isso, ações fundamentais a implementar nesta altura. Estão, no entanto, longe de ser as únicas nesta atura. No que se refere às plantas de interior, o reduzido número de exemplares que tem em casa é agora mais exigente do que em outras épocas mas não consome mais tempo de trabalho do que as do jardim.

Para potenciar o seu desenvolvimento, estas são (outras) 10 tarefas a executar até aos primeiros dias de outono:

1. Pulverize folhas e substrato

Com algumas espécies tropicais, como as bromeliáceas por exemplo, é agora necessário um trabalho muito fácil para evitar a falta de turgência e vitalidade. Trata-se de borrifar uma ou duas vezes por dia em redor das plantas pilosas ou nas folhas das espécies não pilosas. Quando estiver com o pulverizador na mão, aproveite para humedecer ligeiramente a superfície do substrato.

2. Promova a ventilação

O calor ou a falta de rega, como é sabido, secam as plantas. Se isso suceder, corte as espécies afetadas para favorecer a ventilação e assegurar novos rebentos nas suas plantas de interior. No caso de folhas pequenas, corte à mão, em caso de folhas grandes, utilize a tesoura de podar.

3. Adube e regue

Os fertilizantes líquidos são os mais fáceis de aplicar. Misturam-se com a água da rega das plantas de interior e aplicam-se de 10 em 10 dias na primavera e no verão. O produto é absorvido quase de imediato pela planta.

4. Mude a terra gasta

Há espécies que conseguem chegar ao estado adulto em vasos pequenos e assim se manterem. No entanto, é conveniente retirar parte da terra que rodeia as raízes e substituir por nova. Qualquer altura é boa para esta operação, exceto quando a planta estiver em flor.

5. Semeie novos exemplares

Comece com as anuais. A partir daí, pode experimentar espécies mais difíceis. A técnica, no entanto, é a mesma. Se necessitar poucas, encha um vaso com substrato e reparta as sementes uniformemente, cobrindo com terra fina. Se, pelo contrário, pretende muitas plantas, faça o mesmo mas numa bandeja de plantação. Regue e tape a sementeira com plástico esburacado.

6. Vigie bem para não ter de curar

Inspecione bem as plantas de exterior em vaso  para detetar a presença de algum sintoma raro. É mais fácil atacar os problemas no início do que quando já vão avançados. As revisões podem ser feitas quando está a executar qualquer outra tarefa, tipo rega ou poda, não exigindo por isso muito tempo extra.

Veja na página seguinte: O que usar para facilitar o escoamento da água de rega

7. Utilize substrato solto para facilitar o escoamento da água da rega

Com a rega, agora, são frequentes duas circunstâncias. Por um lado, a superfície do substrato está dura. Sucede quando a água não escoa. A solução reside em picar o substrato com uma forquilha e submergir o vaso num recipiente com água. Por outro lado, a água entra e sai rapidamente pela drenagem. Ocorre quando o substrato se contrai e se separa das paredes do vaso. Neste caso, submerja o vaso em água até a terra ficar bem empapada.

8. Prenda sem apertar

Muitas plantas de exterior, sobretudo trepadeiras, poderiam ter melhor aspeto se fossem atadas às respetivas infraestruturas (espaldares e pérgolas, por exemplo) na altura adequada. O início do crescimento é, sem duvida, a melhor fase para conduzir ou colocar tutores. Mas nunca é tarde. E não esqueça de atar as plantas sem as apertar demasiado…

9. Use um carro mão para as trasladações

Já não há desculpa para não mudar de sítio uma planta que se encontra em local desfavorecido. Com um carrinho de mão o esforço é praticamente mínimo e o transporte bastante rápido e seguro. No verão é particularmente útil ter um carrinho destes porque muitas plantas não suportam as condições tórridas e necessitam de sombra.

10. Recorra a coberturas para reforçar a nutrição

Nas formações alpinas realizadas em jardineiras, é possível juntar uma capa de gravilha por cima do substrato para reduzir a perda de água e manter o ramo das plantas livre de humidades. Esta técnica é extrapolável para todas as espécies cultivadas em recipientes, embora no caso de herbáceas vivazes ou anuais, como as petúnias, em vez de gravilha coloque casca de pinho ou composto porque ao decomporem-se tornam-se em nutrientes extra para as plantações.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.