O Tarot é arte em forma de 78 cartas, constituído por 22 Arcanos maiores e 56 Arcanos menores (Arcano significa segredo, mistério). O Tarot é como um livro aberto rico em simbologia que nos conduz à nossa auto-descoberta e a uma viagem interior para dentro de nós mesmo.

À Primeira vista poderá parecer que cada arcano é envolvida por um véu de mistério, mas quanto mais observarmos cada carta com atenção juntamente com os “olhos” da intuição, mais facilmente as mensagens subjacentes são reveladas.

Para que isso aconteça, a escolha do baralho certo é essencial para sentir uma conexão com as cartas para que nos ajude a fazer uma boa leitura para nós mesmas/os ou para os outros, pois as mensagens transmitidas surgirão com uma melhor fluidez e com mais naturalidade.

O baralho “certo” depende do que cada pessoa gosta, para alguns é um tarot com imagens místicas ou orientais, para outros, imagens medievais ou contemporâneas, a escolha do baralho é algo subjectivo, é tal e qual um livro, se não gostamos do que “lemos” não vamos sentir vontade de o ler, portanto se não gostarmos das imagens do nosso baralho, também não o vamos querer “ler”.

Veja na próxima página a continuação do artigo

Uma das minhas escolhas foi o Tarot “Native American”, ou por outras palavras sinto que fui escolhida por ele, várias circunstancias e “coincidências” levaram-me até ao meu estimado Tarot dos Índios até ao dia em que me foi oferecido. Esta minha “viagem” com este baralho começou há cerca de onze anos atrás e as suas imagens e mensagens não me param de encantar.

No Tarot Native American estão representadas as tradições, costumes e a espiritualidade das várias tribos de Índios, as suas imagens funcionam como um meio de introspeção para fins terapêuticos, autoconhecimento e para previsão, no entanto o Futuro começa no Presente, no HOJE, através das nossas escolhas, portanto a orientação transmitida com a ajuda do Tarot dos Índios é focada principalmente e em primeiro lugar na vida atual.

O Tarot dos Índios tem 78 cartas tal como o tarot de Marselha ou outros baralhos de Tarot, o que varia são as imagens e a maior parte dos nomes de cada arcano, que permite representar melhor o dia a dia das várias tribos como os Apaches, Navajos, Iroqueses entre outros e de fato este baralho honra na perfeição os costumes e a espiritualidade dos Índios.

Os Índios tinham uma vida diária, prática, afetiva e espiritual, trabalhavam e tinham os seus momentos de lazer tal como nós mas honravam a Natureza e a Mãe Terra com respeito e gratidão. Conheciam naturalmente os vários ciclos do Universo e sabiam interpretar os sinais que a Natureza transmitia pois viviam em sintonia com a sua própria verdade interior, ao ritmo do “tambor” da sua alma. Tinham os seus rituais de aprendizagem e de auto-descoberta que eram feitos através de retiros, meditação, reflexão, contemplação e muitas das vezes longe das suas casas, para que a aproximação com a sua alma fosse mais completa e para que assim pudessem voltar às suas famílias em harmonia e equilíbrio.

Veja na próxima página a continuação do artigo

Ao percorrermos cada carta do Tarot dos Índios vemos o percurso de cada nativo, por outras palavras o caminho do xamã ou shaman, desde a carta O Louco até a carta O Mundo. Cada arcano representa a fase da vida de cada individuo através da simbologia Indígena numa perspectiva histórica, artística e espiritual. O Tarot dos Índios expande a interpretação tradicional do Tarot e revela que a filosofia de vida dos Índios não depende nem se trata apenas de uma “raça” mas sobretudo da Visão, da visão interior, da busca de cada um de nós pela verdade das nossas almas independentemente da cultura, religião, ou nacionalidade, para que juntos possamos viver em harmonia e união.

A viagem pelos arcanos maiores do Tarot dos Índios começa com o arcano intitulado “O Louco”, a seguir temos o Coyote, a Donzela de Milho, a Curandeira, o Chefe Conselheiro, o Xamã, os Enamorados, o Trenó, a Força, o Eremita, a Roda da Medicina, a Justiça, a Dança do Sol, a Morte, a Tecelã, o Diabo, a Torre, as Estrelas, a Lua, o Sol, o Julgamento, e finalmente o Mundo.

Cada um destes arcanos representa um arquétipo relacionado com cada fase pela qual todos nós passamos, todos nós queremos chegar ao arcano o MUNDO que significa realização a todos os níveis, as cartas anteriores vão mostrar como lá chegamos e nas consultas individuais vemos em mais detalhe o caminho que estamos a seguir e se estamos a honrá-lo em consciência e em sintonia com a nossa alma ou não.

O motivo de cá estarmos a viver é realmente esse, de vivermos a nossa essência de uma forma simples, natural e em sintonia com o que somos, respeitando as “diferenças” de cada um para vivermos em amor e com amor, será que ainda vamos a tempo? Acredito que sim…temos sempre o poder de escolha.

Veja na próxima página a continuação do artigo

O tarot pode ser um aliado precioso para o nosso autoconhecimento e despertar de consciência mas exige respeito e dedicação, pois não se trata apenas de um conjunto de imagens mas sim de um tesouro de simbologia, derivado de muitos anos atrás envolto de mistério pois a sua origem é incerta, mas quem as criou merece o nosso agradecimento pois atualmente a Tarologia é cada vez mais respeitada quando feita com profissionalismo, ética, respeito pela vida das pessoas e sobretudo com amor.

Os Índios acreditavam que as quatro direções dos ventos representados pela carta A Roda Da Medicina, traziam para as nossas vidas a fé, humildade (Sul), introspeção (Oeste), gratidão (Norte), iluminação (Este). Estas lições de vida são as bases para uma vida feliz. Que estejamos atentos aos sinais que a cada dia a vida nos dá, que o nosso interior esteja desperto para as respostas que procuramos, que acreditemos que tudo tem um plano divino para nós mas que também temos que usar da “iluminação” para fazer por nós e sobretudo sermos gratos e humildes pois estamos sempre a aprender e a ensinar através de cada pessoa que passa pelas nossas vidas.

Da` Naho! (E está dito!)

 

Jamina Ann da Silva.
Colaboradora no Sapo Astral e Sapo Zen com o Tarot dos Índios.
Terapeuta Holística, Taróloga, Astróloga.
Consultas/Terapias em Lisboa, Oeiras, Estoril, Portimão, Alvor.
Contacto: 92 65 777 36
Blog: www.jaminaterapias.blogs.sapo.pt
E-mail: reikitarot@inbox.com

Coordenação de Conteúdos:
Heloisa Miranda
email: sapozen@sapo.pt
Veja o programa SAPO Zen: zen.sapo.pt

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.