Segundo os especialistas, na antiguidade os alquimistas nada mais eram do que químicos da Idade Média que defendiam que todos os metais poderiam passar por um processo de transformação até chegarem a ouro. Não eram bem vistos, pois eram considerados seres estranhos que passavam horas no seu laboratório utilizando os quatro elementos da natureza (terra, fogo, água e ar) para chegarem até à “pedra filosofal”.

Mesmo a alquimia baseando-se na transformação de qualquer metal em ouro, a verdade é que o seu conceito vai muito mais além. A grande transmutação que os seus seguidores pretendem é a espiritual. O próprio organismo humano usaria os seus recursos para alcançar o elixir da vida eterna. O médico suíço Phillippus Paracelsus e acreditava que conseguia curar pessoas através de substâncias como o sal, o mercúrio e o enxofre, substâncias essas que também existem no corpo humano.

Hoje em dia, é a Atroposofia, corrente espiritualista, que resgata estes conceitos e os aplica às forças ativas da alma. O sal corresponderia ao pensamento, o mercúrio ao desejo e o enxofre ao sentimento. Mesmo não sendo considerada uma ciência, nos tempos de hoje, a alquimia é vista como uma disciplina ancestral da química que é usada para a busca da perfeição.

Os símbolos alquímicos

Abracadabra
Usado na Alquimia antiga para a cura de doenças e para aumentar a energia do organismo, este símbolo representa as iniciais hebraicas do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Este símbolo era impresso em pergaminhos e colocado no pescoço do enfermo num fio em forma triangular.

Aleph
Com origem na tradição secreta da cabala, o Aleph é a primeira letra do alfabeto hebraico, representando a raiz espiritual de toda a harmonia.

Caduceu
Representado com uma figura de duas serpentes enroladas com um bastão no meio, o Caduceu é símbolo do mercúrio e pode ser entendido como a unidade e o equilíbrio do corpo, bem como um símbolo para a cura. As duas serpentes representam a polaridade e a dualidade.

Cubo
Representa em si uma fonte de possibilidades sobrenaturais, e assenta na simbologia do número quatro, uma vez que o cubo tem quatro lados e que é na verdade a raiz de todas as coisas que acontecem no nosso planeta. Para além disso, representa Pitágoras e as tradições platónicas.

Ergon
Visa em si a eternidade, simbolizando para a Alquimia o olho direito da alma, absorvendo as vibrações espirituais. Define ainda a natureza infinita da nossa alma e a capacidade que o ser humano tem de explorar a infinidade do Universo.

Fogo
Representa a energia divina, as almas purificadas, a revelação do Universo e a transformação total.

Lua
Para a alquimia este símbolo representa em si a prata. A Lua simboliza a fertilidade, o renascimento, a vida eterna, o poder oculto e a intuição. É considerada pelos alquimista como uma propriedade feminina que deve ser conjugada com o Sol - que concentra em si a propriedade masculina - para que o Universo se mantenha em total equilíbrio.

Pena de Pavão
A representação espiritual do pavão simboliza a transformação final na alquimia. A sua diversidade de cores transmitia todos os metais fundidos para qualquer processo alquímico e quando essas multicores sobressaiam na experiência simbolizava que todas as partes voláteis do processo tinham sido ultrapassadas.

Pentagrama
Era usado entre os alquimistas como um símbolo de proteção e do conhecimento sagrado. De uma forma geral, o pentagrama representa a saúde, a harmonia e a junção do Céu e da Terra.

Quincôncio
Na antiga alquimia, representa o todo, significando que qualquer ser humano tem a capacidade de possuir os quatro níveis de matéria física (pedra, vegetal, animal e homem) e que a partir desses quatro elementos se consegue chegar ao quinto: a divindade.

Sol
Os alquimistas utilizaram o símbolo do Sol como o poder central de toda a sua prática, pois representava em si o ouro. Este astro sempre foi adorado em muitas culturas e concentra em si todo o processo de criação.

Utilize os símbolos alquímicos na sua vida
Para atrair para a sua vida muita sorte, felicidade, amor, saúde ou fortuna pode trazer sempre junto de si um ou mais destes símbolos da alquimia. Pode desenhar uma destas figuras num papel ou num pano e guarde-o na sua carteira ou mala.

Maria Helena Martins
www.mariahelena.pt
consultoriodeastrologia.blogs.sapo.pt

Maria Helena no Facebook

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.