O mês de abril trouxe uma nova era para a administração de condomínios, com a entrada em vigor da lei n.º 8/2022, de 10 de janeiro – que, para além de apresentar maior certeza jurídica em questões que geravam controvérsia na doutrina e na jurisprudência, vem alargar os poderes do administrador, incumbindo-o de novas funções e especificando detalhes a cumprir na realização de outras que já lhe eram atribuídas, responsabilizando-o pelo não cumprimento das suas atribuições de forma mais severa.

No entanto, deveres e responsabilidades à parte, a verdade é que podemos considerar a existência de diversos perfis de administrador de condomínio – perfis esses que podem potenciar ou condicionar as relações de vizinhança e a gestão do edifício. A Loja do Condomínio apresenta-lhe, assim, os seis perfis-tipo do administrador, deixando-lhe o desafio de detetar qual é aquele que melhor caracteriza quem administra o seu prédio:

O perfecionista: este profissional é a perfeição em pessoa! Sempre atento aos detalhes, cumpridor das suas obrigações e zeloso para com a realização de tudo o que está definido para o condomínio. Não perdoa, no entanto, o mais ligeiro deslize dos condóminos. O orçamento está sempre em dia, as contas são sempre pagas a tempo e não há um rasto de sujidade nas zonas comuns – mais ‘ai’ do condómino que se atrase um dia no pagamento da quota ou que chegue dois minutos mais tarde à assembleia.

O inseguro: o administrador do condomínio deste perfil é prestável e disponível, mas evidencia alguma falta de segurança – o que fica patente na forma hesitante como lida com os condóminos e com os temas mais sensíveis, mas sobretudo pela necessidade de validação e de reconhecimento que vai demonstrando. Quer ver este perfil satisfeito e confiante? Então, enalteça o seu papel enquanto administrador e vai ganhar um aliado no condomínio.

O apressado: anda sempre a correr de um lado para o outro, de pasta debaixo do braço e atrasado em relação aos processos do condomínio. As assembleias de condóminos realizam-se rapidamente, porque ele tem sempre algo urgente para fazer em seguida, e é difícil “segurá-lo”, nem que seja por cinco minutos, para uma conversa (importante) sobre o condomínio.

O apaixonado: este administrador vibra com o condomínio como se da mais importante obra-prima se tratasse. Dedicado e entusiasta, tudo é especial e importante. Para ele, fundir-se a lâmpada da garagem é quase tema para convocar uma nova assembleia. Tudo é, por isso mesmo, intenso, demorado e burocrático, perdendo-se muito tempo com detalhes que poderiam ser facilmente ultrapassados.

O pacificador: é o árbitro de serviço do condomínio, sendo um verdadeiro mediador de conflitos entre os condóminos. Tranquilo e calmo por natureza, baseia a sua administração nas boas relações de vizinhança e preocupa-se em assegurar que conhece e acompanha todos os condóminos. Pode muitas vezes dar prioridade a esta vertente relacional em detrimento daquilo que é realmente essencial para a boa gestão do condomínio (mas, em compensação, é capaz de levar um “bolinho” para adoçar as assembleias de condóminos).

O executor: assertivo, objetivo e direcionado, este perfil tem o foco na boa operacionalização dos processos. Cumpre os prazos e assegura o que é devido, não se distraindo com detalhes pouco estratégicos, nem alimentando qualquer ”romancear” da vida em condomínio. Há problemas entre os vizinhos? Para ele é simples: se a situação não se resolver por si, os Julgados de Paz fazem-no pelos condóminos. Com este perfil, é tudo ágil, ficando tudo em dia e em ordem (mas o tal “bolinho” já não faz parte do pacote).

Conhecidos os perfis do administrador do condomínio, qual é aquele que faz a gestão do seu edifício?

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.