As músicas, as artes, os cheiros e sabores árabes que há séculos “alimentavam” o quotidiano de Mértola voltam a “invadir” a vila alentejana durante o sexto Festival Islâmico, que vai decorrer entre quinta-feira e domingo.

Para reviver a herança islâmica da vila e as ligações com o Norte de África, o festival bienal, promovido pela Câmara de Mértola, recupera a "Martulah" dos séculos XI e XII, quando era a capital de um reino islâmico e um importante porto comercial nas rotas do Mediterrâneo.

O tradicional mercado de rua marroquino, o “souk”, espalhado pelas ruas estreitas e íngremes do labiríntico centro histórico de Mértola, a lembrar as medinas do outro lado do Mediterrâneo, abre na quinta-feira às 10:00.

No “souk”, “o coração” e um dos principais atrativos do festival, comerciantes de vários países mediterrânicos, como Marrocos, Egito, Argélia, Espanha e Portugal, vão “misturar-se” para vender mil e um produtos, como roupas, calçado, peças de cerâmica, candeeiros, tapetes, bijutaria, chás, frutos secos ou bolos.

A animação musical, através de sons luso-árabes, será presença constante no “souk”, a cargo dos grupos Alentejanos, Coral Guadiana de Mértola, Adufeiras, Boukdir, Mercadores de Abjul e do músico Eduardo Ramos.

A banda sonora das noites do festival, com uma mistura de sons de raiz árabe-andaluz, arranca quinta-feira, no castelo de Mértola, com o espetáculo de percussão “Latidos de Al-Andalus”, do músico espanhol Eduardo Paniágua.

Na sexta-feira à noite, o Cais do Guadiana será o palco dos concertos do grupo do sul de Marrocos Nass Marrakech, que toca música tradicional “gnawa” (escravos provenientes da África Central que chegaram ao Magrebe no século XV) com “um toque de modernidade”, e da dupla de “rock-afro-blues” Justin Adams & Juldeh Camara.

O Cais do Guadiana volta a ser o palco dos dois concertos de sábado à noite, um do músico português Sebastião Antunes, que apresentará o seu primeiro álbum a solo “Cá Dentro”, e outro do quarteto parisiense Speed Caravan, cuja música mistura rock, hip-hop, música eletrónica e músicas do mundo.

Após os concertos, haverá concertos baile na Praça Luís de Camões, um com o grupo português de música tradicional, folk e rock “Uxu Kalhus” (sexta-feira) e outro com a banda portuguesa de música folk “Kumpania Algazarra” (sábado).

Exposições, uma feira do livro e outra de música, oficinas de dança oriental, de Cante Alentejano e de instrumentos musicais do mundo, um circuito de poesia e outro pelos pátios de Mértola, teatro, passeios pelo rio Guadiana, colóquios e conferências e a Festa “Almutâmide o Príncipe dos Poetas - De Beja a Agmat”, sábado, às 19:30, no Cineteatro Marques Duque, são outras ofertas do festival.

No domingo à tarde, a partir das 17:00, o Largo Vasco da Gama será o palco do espetáculo de encerramento do sexto Festival Islâmico, numa mistura de música árabe e cante alentejanos através das atuações dos grupos Alentejanos, Coral Guadiana de Mértola, Boukdir e Mercadores de Abjul.

Lusa

17 de Maio de 2011

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.