Poupar é um objetivo que muitas famílias pretendem atingir, seja para amealhar dinheiro para a viagem do próximo ano e para outros projetos tão desejados, ou até mesmo para guardar e utilizar durante a reforma.

Apesar de existirem várias estratégias de otimização da gestão financeira familiar, a verdade é que várias pessoas já pensaram em apostar na rentabilização do seu dinheiro e investir, mas ainda lhes falta dar um passo em frente.

Se é uma dessas pessoas, certamente já se questionou sobre o melhor investimento e que vantagem traz para a sua carteira. Pois bem, fazer um ou mais investimentos é nada mais, nada menos do que alocar uma determinada quantia na aquisição de ativos - que podem ser móveis ou imóveis - com o objetivo de obter retorno desse mesmo investimento no futuro.

Ainda que possa parecer um processo simples, investir dinheiro é um ato que implica avaliar um conjunto de fatores essenciais para garantir que se faça a escolha mais adequada à realidade financeira de cada família.

Neste contexto, a Zurich apresenta um conjunto de dicas que deve ter em consideração antes de investir:

6 dicas a ter em conta antes de investir

1. Equilibre a sua gestão financeira antes de começar a investir. Importa, numa primeira fase, analisar a gestão das suas finanças pessoais, avaliando as despesas fixas periódicas ou até mesmo as linhas de crédito que possui e, posteriormente, reduzir alguns desses encargos, no sentido de conseguir amealhar mais dinheiro que lhe permita, depois, passar à fase de investimento.

2. Avalie os níveis de risco e o seu perfil de investidor. Todos os produtos de investimento apresentam níveis de risco que correspondem, por sua vez, a diferentes perfis de investidores. De forma ascendente no que ao nível de risco diz respeito, os perfis são: “conservador”, “moderado” e “dinâmico”.

Por exemplo, enquanto um “investidor conservador” procura produtos de investimento de capital garantido mas de baixo retorno, o “investidor dinâmico” aposta em produtos de retorno bastante superior mas ao mesmo tempo com maior risco de perda de capital.

3. Conheça as soluções do mercado. Existem hoje várias opções disponibilizadas por diferentes entidades, entre elas os seguradores, que apresentam os seguros de investimento unit-linked (seguros de vida ligados a fundos de investimento).

Esta opção pressupõe que cada pessoa pague um determinado montante ao segurador (de forma periódica ou única), que, por sua vez, o irá investir com o propósito de obter retorno para o seu contrato de seguro.

4. Defina um plano de investimento. Identifique quais os objetivos que pretende atingir, assim como o nível de retorno que espera obter e em que espaço de tempo, de forma a conseguir avaliar quanto terá de investir, por quanto tempo, e qual o nível de risco desse mesmo investimento.

5. Diversifique os seus investimentos. Uma vez que ao investir estará a lidar com o risco de os ativos valorizarem ou desvalorizarem, a recomendação passa por apostar num equilíbrio entre o risco e o retorno, e não investir apenas num único produto de investimento.

6.Informe-se junto do seu segurador. Se ainda é novato neste mundo dos investimentos, contacte o seu segurador diretamente a fim de esclarecer todas as suas dúvidas sobre os diferentes produtos de investimento ou visite o website do seu segurador.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.