Faça uma pré-análise financeira à sua vida

Quem quer comprar casa e precisa de financiamento o facto de ter um bom perfil financeiro ajuda-o no processo, pois o banco irá confiar na sua capacidade de pagar o empréstimo.

Antes da crise os bancos financiavam a 100% o valor do imóvel.  Hoje em dia o montante médio dispensado é de 80%, mas pode chegar no máximo a 90% e quanto mais elevada for a percentagem de LTV (Loan to Value), mais difícil é o banco conceder o empréstimo.

Assim, deve fazer uma auto-análise do seu perfil. É aconselhável que tenha um rendimento regular e um vínculo laboral estável. Se tiver outros créditos que podem influenciar a sua taxa de esforço, faça a sua liquidação para que a taxa de esforço não suba se obtiver ainda a prestação da casa para pagar. Deve ainda consultar o seu Mapa de Responsabilidades no Banco de Portugal, para possa perceber os vários compromissos de crédito que tem e como melhor geri-los.

Ter a documentação preparada

A primeira fase de um processo de crédito habitação é o envio de documentação para que se faça a análise financeira.

Dos documentos iniciais, salientamos o Cartão de Cidadão, a última Declaração de IRS, a declaração de vínculo contratual, o Mapa de Responsabilidades do Banco de Portugal, o último extrato de cada um dos cartões de crédito e o comprovativo de morada.

Se reunir toda a documentação necessária logo nesta primeira etapa, está a acelerar o processo e evita que um primeiro pedido seja negado por falta algum documento.

Capitais próprios e outras garantias

Com as indicações do Banco Portugal, o LTV pode ser em média 80%. Assim se está interessado em comprar casa, deverá ter algum capital para dar de entrada ao empréstimo e ainda reunir outros valores para o pagamento de impostos, como o IMI, IMT e Imposto de Selo.

Quanto menos dinheiro pedir ao banco relativamente ao valor de avaliação do imóvel, mais hipóteses terá de ver o seu crédito aprovado com um spread mais baixo.

Caso esteja numa situação menos favorável do ponto de vista do banco (seja por falta de capitais, situação de desemprego, instabilidade financeira ou taxa de esforço acima do esperado), é possível que o banco lhe peça outro tipo de garantias, dependendo de entidade para entidade. Um fiador (pessoa que se encontra obrigada a pagar a dívida do devedor em determinadas situações) é comumente pedido, mas não é obrigatório.

Pode ainda pensar em garantias como ter um outro preponente a pedir o crédito (dois é sempre melhor do que um, pois reduz o risco) ou fazer um crédito habitação com garantia de hipoteca de outro imóvel.

Fale com o seu banco

Peça uma primeira simulação ao seu banco e dê-lhe o máximo de informação possível. Não caia na tentação de omitir fatos relevantes, pois certamente a entidade bancária irá saber tudo ao longo do processo. Assim, para poder ter mais hipóteses, tenha no banco um aliado neste processo, pois perder um cliente também não é interessante para o seu balcão.

Se seguir estes passos, terá mais sucesso em ver o seu crédito habitação aprovado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.