1. Reveja os gastos

O primeiro passo que deve tomar é perceber quais foram os seus últimos gastos e quais foram mais exacerbados, para concluir se foram todos necessários ou não. Esta avaliação será determinante para entender melhor os eventuais erros que cometeu e para voltar a reequilibrar as suas contas.

Para isso, pode utilizar várias estratégias. Se tiver um cartão multibanco, retire o extrato bancário e reveja todos os seus últimos pagamentos. Caso tenha utilizado dinheiro, tente lembrar-se onde o gastou, fazendo um caminho mental pelos últimos sítios onde esteve (por exemplo, de férias, de fim de semana, num shopping).

Desta forma, fica com mais noção dos erros que cometeu e, quando voltar a pensar em comprar algo e não tiver a certeza se é por desejo ou necessidade, vai pensar duas vezes antes de o fazer. O importante é que faça os seus gastos de forma consciente, se quiser voltar a ter as finanças equilibradas.

2. Faça uma previsão dos próximos gastos

Depois, deve fazer um planeamento dos próximos gastos. Pense, por exemplo, em despesas maiores que possam vir nos próximos meses para que conte já com elas, como despesas com o seu automóvel (seguro, revisão/inspeção, impostos), com a sua casa, condomínio ou ocasiões como o Natal.

Se tiver beneficiado de moratória no crédito habitação e voltar agora a pagar a prestação do seu empréstimo, contabilize esta despesa que nos últimos meses não entrou no orçamento.

Além dessas despesas extra, adicione também as que já são habituais com rendas, gasolina, impostos, eletricidade e gás, através de um documento Excel, à mão num papel, ou até no seu telemóvel.

Ao saber todas as despesas que terá, subtraia-as aos rendimentos que vai ganhar nos próximos tempos, para perceber de quanto é que vai precisar para recuperar e reequilibrar as suas contas futuras.

3. Realize uma limpeza de final de verão

Também pode ganhar algum dinheiro ao fazer uma destralha com o que já não usa, aproveitando o final do verão para fazer uma limpeza a utilidades da estação.

Por exemplo, se tiver um filho pequeno, pode optar por colocar à venda a roupa que ele utilizou este verão, uma vez que no próximo já não vai servir. Pode também vender objetos de praia que sabe que não utilizará para o ano.

Consegue colocar todas estas peças em plataformas online de venda em segunda mão, como é o caso da Vinted para roupa, ou do OLX e Marketplace para outras categorias.

4. Analise os seus encargos atuais

Depois, pode fazer uma revisão aos vários encargos atuais que tem. Tanto em créditos, pedindo uma revisão das condições ao seu banco, como em seguros, pedindo também às seguradoras para rever as suas apólices, ou em contratos de serviço (eletricidade, gás, subscrições).

Isto porque, no caso dos créditos e seguros, as condições podem ter-se atualizado desde que fez o contrato e, assim, se pedir uma revisão, pode conseguir encargos mensais mais baixos. Tal acontece também com os contratos de serviços, porque os pacotes vão-se alterando ao longo do tempo, e, neste momento, pode haver uma opção mais favorável para si do que a que tem atualmente, sendo na mesma entidade ou numa diferente.

Portanto, faça a sua pesquisa, as suas comparações e fale com as entidades respetivas. Se conseguir prestações mais baixas nestes serviços, pode ainda conseguir uma poupança significativa no final.

5. Comece uma poupança mensal

Começar uma poupança não é sinónimo de colocar de parte todos os meses uma grande quantia. Até porque, se o objetivo é recuperar as suas finanças, não convém que comece logo a colocar 100 euros do seu orçamento de parte todos os meses.

Pode começar por uma quantia pequena, como por exemplo, sempre que tiver moedas, colocá-las num mealheiro ao chegar a casa. Esta pode ser uma forma de ir poupando sem sequer se aperceber de um grande impacto no seu orçamento.

Existem outras formas, como ter uma conta poupança onde coloca o dinheiro que desejar, mesmo que seja uma pequena quantia, sempre que puder. Pode ainda tentar poupar noutras ações do seu dia a dia, como é o caso do supermercado, verificando sempre o que pode aproveitar para comprar nas promoções.

São hábitos que pode ir incutindo nos próximos meses para recuperar financeiramente e verá que, quando der por isso, já vai ter uma boa quantia junta para necessidades ou emergências futuras.

6. Não se meta em novos gastos

Por fim, é essencial que não se coloque em novas despesas correntes ou encargos mensais, a não ser que seja por extrema necessidade.

É muito importante que neste processo de recuperar a sua carteira, não se deixe cair na tentação de fazer novos créditos porque queria aquela televisão ou um novo telemóvel.

Pense a longo prazo e vá poupando até conseguir ter dinheiro suficiente para comprar tudo o que quer, sem precisar de fazer novos créditos nem adicionar mais uma despesa mensal à sua lista.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.