Também conhecido como tique doloroso, é um problema neurológico que  afecta o nervo que transmite as sensações do rosto ao cérebro, provocando dores intensas.

Consiste numa disfunção do nervo trigémio (nervo craniano V), responsável por conduzir a informação da sensibilidade da face até ao cérebro.

Caracteriza-se por crises de dor que afectam toda a zona do rosto inervada pelo nervo ou, na maioria dos casos, apenas na área correspondente a algum dos seus ramos. A causa é desconhecida mas o problema é frequentemente ligado à compressão vascular da raiz do nervo trigémio. Por vezes surge como consequência de uma artéria que, ao passar por um trajecto anómalo, comprime o nervo adjacente ao cérebro, provocando a sua irritação.

Sintomas

Provoca episódios de dor muito forte no rosto, que podem durar alguns segundos ou vários minutos. A dor pode aparecer espontaneamente ou ser desencadeada quando se toca num determinando ponto (ponto desencadeante), manifestando-se de forma intensa e repetida (guinadas) na metade inferior do rosto. Na maioria das vezes, a dor incide na zona da maçã do rosto próxima do nariz ou na área da mandíbula. As crises de dor podem repetir-se até cem vezes por dia, chegando a determinar uma incapacidade total.

Tratamento

Os medicamentos mais eficazes são, normalmente, os anticonvulsivantes porque estabilizam as membranas nervosas, reduzindo a frequência e a intensidade das crises. Em alguns casos, pode recorrer-se à cirurgia para libertar a compressão do nervo trigémio ou para destruir uma parte do mesmo, através da cauterização.

Em casos mais graves, pode ainda fazer-se um ensaio que consiste na injecção de álcool no nervo para bloquear a sua função temporariamente e, se isto aliviar a dor, o nervo pode ser seccionado ou mesmo destruído permanentemente com a injecção de um fármaco. Este procedimento pode gerar muitas queixas pelo que só deve ser considerado em último caso.

Incidência e diagnóstico

Surge em pessoas saudáveis a partir dos 50 anos, sendo mais comum entre os 60 e os 70 anos. É ligeiramente mais frequente no sexo feminino. Quanto ao diagnóstico, saiba que não existem exames específicos para identificar a nevralgia do trigémio.

Ainda  assim, é fácil de identificar devido às características da dor. Devem ser descartadas outras hipóteses de dores faciais como, por exemplo, problemas na mandíbula ou uma compressão do nervo trigémio por um tumor ou um aneurisma.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.