Por vezes, basta um pequeno toque para que muitas pessoas fiquem com manchas escuras na epiderme. "Regra geral, a tendência para nódoas negras deve-se à fragilidade dos capilares cutâneos. Quando estes pequenos vasos se rompem, perde-se uma pequena quantidade de sangue, criando pontos avermelhados na pele (petéquias), hemorragias de cor púrpura-azulada (púrpura) ou pequenas nódoas negras (hematomas)", refere João Ramos.

"As mulheres são, geralmente, mais afetadas que os homens", acrescenta o médico especialista em medicina geral e familiar. "Esta tendência é hereditária e, na maioria dos casos, os hematomas têm cura espontânea, são assintomáticos, não constituindo uma doença, e não requerem tratamento. No entanto, podem indicar um mau funcionamento dos fatores de coagulação do sangue", adverte.

"Nesse caso, está indicado fazer um hemograma completo com o estudo da coagulação do sangue", diz. "Como há doenças que podem cursar com estes hematomas, nomeadamente coagulopatias, défices de vitamina K, alterações da função hepática, uso crónico de alguns medicamentos, anemias ou doenças mais raras, é aconselhável consultar um médico", recomenda o especialista.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.