A artrite reumatoide é uma patologia inflamatória que, por norma, causa dor, edema (inchaço), rigidez e perda de função nas articulações. De origem desconhecida, ocorre em todas as idades e apresenta, como manifestação predominante, o envolvimento repetido e habitualmente crónico das estruturas articulares e periarticulares. Pode, contudo, afetar o tecido conjuntivo em qualquer parte do organismo e originar as mais variadas manifestações sistémicas.

É uma das doenças mediadas pelos mecanismos imunitários mais comuns, afetando, segundo as estimativas dos organismos internacionais, entre 0,5% a 1% da população mundial. Atualmente, afeta mais de 50.000 portugueses. Quando não detetada precocemente e tratada corretamente, a artrite reumatoide acarreta, em geral, graves consequências para os doentes, traduzidas, muitas vezes, em incapacidade funcional e para o trabalho.

A flor que pode ser usada para tratar a tensão alta e a artrite reumatoide
A flor que pode ser usada para tratar a tensão alta e a artrite reumatoide
Ver artigo

Tem ainda elevada comorbilidade e mortalidade acrescida em relação à população em geral. Na artrite reumatoide, é característico existir um envolvimento simétrico. É normal afetar ambos os punhos ou ambos os joelhos e não apenas uma das localizações. A artrite reumatoide afeta frequentemente os punhos e os dedos, com maior frequência nas articulações perto dos punhos, mas pode também atingir pés, ombros, joelhos, cotovelos, ancas e coluna cervical. Ocasionalmente, a inflamação gerada pela doença pode atingir o revestimento dos pulmões (causando pleurite) ou o revestimento do coração (causando pericardite).

Pode ainda atingir o pulmão ou associar-se a secura dos olhos ou da boca, devido à inflamação das glândulas que produzem a saliva e as lágrimas. Mais rara, apesar de também poder ocorrer, é a inflamação dos vasos sanguíneos, uma situação que provoca a vasculite. A doença pode por vezes existir com febre baixa, sensação de se estar doente e redução da força com fadiga intensa. A anemia, outro sinal, existe muitas vezes associada à artrite reumatoide.

Fatores de risco

As mulheres são frequentemente mais afetadas que os homens, numa proporção de quatro para um. A artrite reumatoide é, sobretudo, uma doença de adultos jovens e de mulheres pós-menopáusicas.

Prevenção

Não é possível evitar o surgimento desta doença inflamatória, advertem os especialistas um pouco por todo o mundo. A prevenção destina-se, fundamentalmente, a diminuir a gravidade da patologia, de forma a reduzir a incapacidade funcional e a melhorar a qualidade de vida.

O diagnóstico precoce é fundamental, uma vez que esta doença, diagnosticada nos primeiros três a seis meses do seu curso clínico e tratada corretamente, tem grandes probabilidades de não evoluir para a incapacidade funcional para o trabalho, diminuir a comorbilidade e não reduzir a esperança média de vida.

Diagnóstico

O diagnóstico da artrite reumatoide é, habitualmente, feito com base na verificação de tumefação de três ou mais articulações, no envolvimento das articulações metacarpofalângicas e/ou metatarsofalângicas, na rigidez matinal superior a trinta minutos e na simetria do envolvimento articular.

Na artrite reumatoide, há alterações laboratoriais importantes, como a anemia e o aumento da velocidade de sedimentação dos glóbulos vermelhos. A velocidade de sedimentação é uma análise que indica a intensidade da inflamação. Na artrite reumatóide, surgem no sangue de mais de 70% dos doentes umas proteínas anormais chamadas fatores reumatoides.

Pode não bastar fazer exames laboratoriais e radiografias para estabelecer o diagnóstico. Pode ser necessário realizar outros exames, como a cintigrafia, a ultrassonografia e a ressonância magnética nuclear, pois são estes que revelam sinovite (inflamação da membrana sinovial) ao fim de escassas semanas.

Tratamento

O tratamento da artrite reumatoide tem evoluído significativamente, em consequência da avaliação da atividade inflamatória, do conhecimento dos fatores de pior prognóstico, do uso precoce de fármacos antirreumáticos de ação lenta, do aparecimento de terapêutica combinada e, mais recentemente, da terapêutica biológica, também usada.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.