A preocupação com a imagem é um assunto presente nas conversas diárias de muitas mulheres.

Várias são também as dietas a que muitas de nós recorremos para eliminar o inestético pneuzinho e a celulite que teima em apoderar-se de certas zonas do nosso corpo.

Mas, quantas de nós, focadas na perda de mais um quilo, esquecemos algumas das regras fundamentais de saúde? Apresentamos-lhe a dieta ácido-alcalina, inovadora na conjugação de alimentos e na purificação e limpeza do corpo. Harmonia e saúde são as palavras-chave.

pH neutro

Para nos sentirmos bem na nossa pele, é necessário estarmos atentas aos sinais que o nosso corpo nos vai transmitindo.

Encontrar um equilíbrio é saber ouvir, sentir e compreender aquilo que o nosso organismo nos comunica e, também, saber escolher a alimentação e entender os prós e os contras dos vários alimentos.

Na dieta ácido-alcalina, a conjugação entre alimentos ácidos e alimentos ricos em minerais é o segredo para um organismo saudável, com mais energia e mais eficaz perante os efeitos negativos do envelhecimento.

O seu contributo para a diminuição das substâncias tóxicas no organismo, ajudando a tratar a obstipação, a reduzir o cansaço e até as dores de cabeça é outra das mais-valias de quem segue este tipo de dieta.

Todos estes aspectos contribuem para a manutenção de um pH neutro de 7,4 no sangue, valor fundamental para uma vida melhor e plena de saúde.

Quem é quem

Para o nutricionista Humberto Barbosa, «a ingestão de alimentos acidificantes provoca, ao longo da vida, uma acumulação de ácidos no organismo, fazendo com que os órgãos diminuam a sua função e com que os tecidos retenham substâncias nocivas ao sangue».

«Também, os vírus e as bactérias proliferam melhor em meios deste tipo», acrescenta ainda.

Por outro lado, salienta o especialista «num sangue mais alcalino, poder-se-ão desenvolver problemas como convulsões e outras desordens, pelo que se deve optar pela ingestão de cerca de 80 por cento de alimentos alcalinos e 20 por cento de alimentos acidificantes».

O risco para a saúde surge quando os alimentos acidificantes ultrapassam a barreira dos 50 por cento na nossa dieta. Mas a que tipo de alimentos nos referimos?

«Por alimentos ácidos não se entendem aqueles que são ácidos em cru. Por exemplo, uma laranja ou um limão são ácidos quando crus, mas alcalinos se digeridos. A carne é alcalina quando crua ou cozinhada, mas uma vez digerida torna-se produtora de ácidos», explica.

Assim, «carne, peixe, ovos e outras proteínas animais transformam-se em produtos ácidos no nosso sangue, ao passo que sumos de fruta, milho, arroz selvagem e cereais são óptimos aliados para vencer o meio alcalino do intestino grosso e curar a obstipação, por exemplo».


Veja na página seguinte: O teor de acidez dos alimentos

Equilíbrio e não só…

De acordo com Humberto Barbosa, este tipo de regime pode ser considerado uma boa escolha para quem quer ter um organismo saudável.

Porém, não devemos esquecer que «a fórmula ideal será combinar personalizadamente este conceito de regime com outros factores nutricionais diversos, que irão ao encontro das necessidades de cada pessoa».

Cada um de nós tem diferentes necessidades, pelo que, segundo este nutricionista, é necessário estar atento à combinação alimentar mais adequada ao nosso organismo, situação na qual consultar um especialista tem uma importância fundamental.

«Não basta reunir uma lista de alimentos e entregar a uma pessoa para que organize a sua alimentação», afirma Humberto Barbosa, «a única forma de dar sentido a este tipo de regime alimentar é determinar primeiro quais as necessidades de cada um, entender qual o equilíbrio interior do mesmo e traçar um caminho a atingir».

Na opinião do nutricionista, qualquer plano alimentar só é efectivo se houver vontade, motivação e ajuda especializada para o executar: «O que custa é dar o primeiro passo! Depois disso, é deixar-se ir!», recomenda.


Detector de acidez

Eis alguns exemplo de alimentos ácidos, alcalinos e neutros


Ácidos

Açúcar refinado
Açúcar mascavado
Bebidas refrigerantes
Gelados
Chocolates
Todo o tipo de carnes e derivados
Lacticínios
Ovos
Peixe e marisco
Nozes
Caju
Cereais refinados (trigo, cevada, arroz)
Farinhas e derivados (pão, bolos, bolachas)
Leguminosas secas (feijão, grão, ervilhas,lentilhas)

Alcalinos

Frutas

Vegetais
Cereais integrais
Algas

Neutros

Azeite e óleo de sésamo biológico
Algumas sementes (girassol, abóbora)
Amêndoas
Avelãs (ao natural)


Sabia que...
O grau de acidez dos alimentos aumenta quando estes são cozidos ou fritos.


Texto: Raquel Pires com Humberto Barbosa (nutricionista)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.