Foi com «um delicioso iogurte de
manga» que Fátima Santos, com 57
anos e 63 quilos, se iniciou nas refeições
Lev.

Mas, no curso deste programa de
emagrecimento, viria a apaixonar-se
também pelas «deliciosas sobremesas».

Isto sem falar «nas
omeletas, no frango com cogumelos e nas
sopas», descreve, já com menos cinco
quilos registados na balança.

Baseado
na ingestão de proteínas na quantidade
diária necessária e num consumo
reduzido de gorduras, hidratos de
carbono e calorias, este método
promete ajudar a eliminar peso com
refeições saborosas e sem sensação de
fome. Confrontámos a teoria com a
prática para ver se é mesmo assim.

Motivação

Insatisfeita com a sua imagem, Fátima Santos
«queria perder barriga. Há algum
tempo que pensava iniciar uma dieta,
mas ia protelando», recorda. Até que
veio a gota de água. «Um dia vesti
várias peças de roupa e não me senti
confortável com nenhuma. Percebi que
a dieta tinha caráter de urgência», desabafa.

Por
saber que poderia contar com o apoio
de um nutricionista e ter observado «os
bons resultados em algumas colegas de
trabalho», marcou consulta na Lev,
onde um nutricionista constatou que
estava com um índice elevado de massa
gorda e lhe recomendou que perdesse
cinco quilos. Na verdade, o perfil desta
assessora comercial encaixava neste
plano de emagrecimento, dirigido
a casos de ligeiro excesso de peso
e obesidade.

O arranque

Privar o organismo de açúcares e de
gordura, para o estimular a consumir
a massa gorda em excesso é o princípio
subjacente a este método de emagrecimento.
Para tal, Fátima Santos começou por fazer
cinco a sete refeições Lev por dia,
acompanhadas por suplementos.

«Foi-me
pedido que comesse legumes ao almoço
e ao jantar e que bebesse, no mínimo, um
litro e meio de água por dia, para evitar
a prisão de ventre», relata.
Todos os outros alimentos foram
eliminados, como dita a primeira fase
da dieta. No entanto, a
determinação era suficiente para que
as mudanças nos hábitos alimentares
fossem sentidas como «um processo
de autoestima», e foi sendo reforçada
desde cedo.

«Quatro dias após o início
da dieta era percetível a perda de
volume abdominal e, ao fim da
primeira semana, as colegas já me
diziam que estava mais magra», afirma,
destacando os resultados da consulta
do décimo dia. «Constatei que tinha
perdido dois quilos», sublinha Fátima Santos.

Refeições

O plano alimentar durou um mês,
o que não impediu a satisfação de
Fátima Santos. «Nunca se pôs a questão de ter
dificuldade em seguir a dieta», garante.
Para este resultado, foi determinante o
gosto pelos pratos propostos, cuja «oferta
é tão variada que se tem sempre prazer
em cada refeição». Para além da fácil preparação, as
mais de cem refeições que integram o
cardápio têm em comum o facto de
conterem alimentos derivados de
proteína de alto valor biológico, como
as do leite, soja, alfafa e clara de ovo.

Superada a fase em que comia
exclusivamente este tipo de alimentos,
Fátima Santos recorda ainda a primeira refeição
que marcou o regresso à alimentação
dita convencional. «Comi peixe grelhado
com legumes e batatas.
Soube-me muito
bem, mas devo admitir que não estava
ansiosa por esse momento», admite hoje.

Novos hábitos

Não beber a quantidade de água
recomendada foi o seu grande pecado,
já que em «alguns dias não bebia sequer
meio litro», desabafa. Um desafio que se esforçou
por superar com a ajuda dos conselhos
dos profissionais. «Como as consultas são
personalizadas, a recomendação mais
recorrente foi ingerir legumes e
consumir água», comenta.

Actualmente, na reta final do regime,
Fátima Santos tem consultas de
acompanhamento nutricional a cada
20 dias e o objetivo de manter o peso.
«Perdi cinco quilos. Atendendo
à minha idade e estatura (1,55 metros),
não pretendo perder mais peso», afirma.

Um objetivo que espera alcançar graças
à manutenção dos novos hábitos
alimentares. «Alterei várias coisas na
minha alimentação, como o consumo
frequente de legumes e fruta, beber mais
água ao longo do dia e deixar de fazer do
jantar a minha principal refeição diária»,
revela.

Veja na página seguinte: O método passo a passo

O método passo a passo

A primeira fase é a do emagrecimento rápido. A alimentação tradicional é
substituída por refeições Lev de alto
teor proteico, acompanhadas por
vegetais e suplementos vitamínicos e
minerais.

A segunda fase é marcada por um emagrecimento progressivo. Em substituição de uma das refeições
Lev é introduzida uma refeição de
carne ou peixe magro. Há sessões de
reeducação de hábitos alimentares.

A terceira fase é a da estabilização do peso.

Esta etapa é marca pela introdução progressiva de alimentos
de baixa carga glicémica (pão
integral, fruta, lacticínios magros) e
consumo de refeições Lev apenas ao
final do dia. Reeducação de hábitos
alimentares e incentivo à prática de
exercício. A quarta fase, por sua vez, é a da manutenção do peso e inclui a prescrição de um plano alimentar
personalizado e remoção das
refeições Lev. Acompanhamento
nutricional de 20 em 20 dias e
incentivo à prática de exercício físico.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.