Estudo recente publicado na revista "Proceedings of the National Academy of Sciences" sugere que o sentimento de rejeição social pode estar ligado a doenças inflamatórias como a asma e a artrite.
 
George Slavich, psicólogo da Universidade da Califórnia, em Los Angeles,  reuniu 124 voluntários para fazer pequenas apresentações em frente a uma audiência programada para ser hostil ao apresentador.
Este mostrou-se tenso e, das amostras de saliva recolhidas, foram detectados índices elevados de dois marcadores relacionados com inflamações.

Paralelamente, os pesquisadores colocaram esses mesmos voluntários num jogo de computador com dois jogadores virtuais que, a dado momento, começaram a ignorar o player humano.
Segundo conclusão do estudo, "essa exclusão social foi associada a um aumento na actividade de duas regiões cerebrais.

Mais importante, voluntários que tinham mostrado os maiores índices de respostas inflamatórias após a apresentação oral apresentaram o maior aumento na actividade cerebral  durante o jogo no scanner, sugerindo uma ligação entre o processamento de rejeição social no cérebro e processos inflamatórios".
Para George Slavich é fundamental perceber esta ligação entre o cérebro e o desencadeamento de inflamações, na medida em que será um ponto de partida para novos tratamentos de doenças como a asma, a artrite e doenças cardiovasculares.

2010-08-10

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.