“Dada a franca floração e polinização das plantas, nesta altura do ano, esperam-se concentrações elevadas a muito elevadas de pólen na atmosfera das regiões do Continente”, refere o SPAIC.

Contudo, está prevista uma redução dos níveis de pólen no ar devido à ocorrência de chuva para praticamente toda a semana e em todo o país, segundo o SPAIC,

De acordo com as previsões até quinta-feira (dia 28), no Porto (região de Entre Douro e Minho), os pólenes encontram-se em níveis elevados, com predomínio dos pólenes das árvores carvalhos, pinheiro e bétula, e da erva urtiga, seguidos pelos pólenes das ervas parietária e gramíneas.

Já em Vila Real (região de Trás-Os-Montes e Alto Douro), os pólenes estão também com níveis elevados, predominando os pólenes das árvores carvalhos, pinheiro e bétula, ervas gramíneas e parietária.

Também em Coimbra (região da Beira Litoral), os pólenes encontram-se em níveis elevados, com predomínio dos pólenes da árvore carvalho e da erva urtiga, árvore pinheiro e da erva parietária.

Na Beira Interior os pólenes encontram-se também em níveis muito elevados, destacando-se os pólenes das árvores azinheira e outros carvalhos e da erva urtiga, ervas tanchagem e gramíneas e da árvore pinheiro.

O boletim prevê também níveis muito elevados na região de Lisboa e Setúbal, com predomínio dos pólenes das árvores carvalho, oliveira e da erva urtiga, ervas parietária, gramíneas e quenopódio e da árvore pinheiro.

Na região do Alentejo, o SPAIC destaca os pólenes da azinheira e da erva urtiga, seguidos pelos pólenes das ervas tanchagem, parietária e gramíneas.

Em Faro (região do Algarve), também com níveis muito elevados, predominam os pólenes das árvores oliveira, azinheira e outros carvalhos e da erva urtiga, ervas tanchagem, gramíneas e quenopódio e da árvore pinheiro.

Para os Arquipélagos dos Açores e da Madeira esperam-se baixos níveis de pólen na atmosfera.

Segundo a SPAIC, devem evitar-se as atividades ao ar livre quando as concentrações polínicas forem elevadas.

“Passeios no jardim, cortar a relva, campismo ou a prática de desporto na rua, irão aumentar a exposição aos pólenes e o risco para as alergias”, acrescenta.

A SPAIC considera ainda que a medicação será a forma mais eficaz de combater os sintomas de alergia, aconselha a consulta de um médico especialista de imunoalergologia para o diagnóstico correto e prescrição da medicação mais adequada e alerta que a prevenção “poderá passar pela realização de vacinas anti-alérgicas”.

O boletim polínico divulga todas as semanas os níveis de pólenes existentes na atmosfera, recolhidos através da leitura de postos em várias regiões do país.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.