"De acordo com as provas existentes, os benefícios da lactância materna para o bebé e mãe superam qualquer risco de transmissão do vírus Zika através do leite materno", conclui a OMS nas recomendações dirigidas às autoridades dos países afetados pela epidemia, segundo a agência de notícias France Presse.

A OMS recorda, no entanto, que o vírus foi detetado no leite materno de duas mães contaminadas.

"Mas não há atualmente nenhuma prova de transmissão de zika para os bebés através da amamentação", garante.

Leia também: A microcefalia faz parte da vida deles há 14 anos

A Organização Mundial de Saúde considerou que o recente aumento de casos de microcefalia e de desordens neurológicas em bebés na América Latina constituem uma emergência de saúde pública de alcance internacional, adiantando que existe uma forte suspeita de que o aumento daqueles casos seja causado pelo vírus Zika. Não existem ainda estudos científicos válidos para confirmarem essa tese.

Leia também: 10 cuidados básicos ao viajar para países com Zika

O vírus Zika é transmitido aos seres humanos por picada de mosquitos infetados e está associado a complicações neurológicas e malformações em fetos.

Existe ainda evidência científica de que o vírus também pode ser transmitido por via sexual, daí que tanto OMS como Direção-Geral de Saúde recomendam o uso de preservativo às pessoas que tenham estado ou vivam em regiões afetadas pela epidemia.

Leia também: O que é a microcefalia?

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.