De acordo com um estudo publicado recentemente numa edição da revista Circulation, a ocorrência de enfartes do miocárdio, vulgarmente conhecidos como ataques cardíacos, está a tornar-se mais comum em mulheres jovens.

8 alimentos que reduzem o risco de AVC
8 alimentos que reduzem o risco de AVC
Ver artigo

As doenças cardiovasculares continuam a ser a ameaça número um à saúde das mulheres, com mais de dois milhões de mortes prematuras por ano. O risco de morte ou incapacidade devido a estas patologias é largamente subestimado nas mulheres, sendo superior ao risco de morte por cancro - morrem, todos os anos, nove vezes mais mulheres por doença cardiovascular do que por cancro da mama. No entanto, cerca de 80% dos eventos cardíacos podem ser prevenidos.

O estudo supracitado analisou dados de internamentos hospitalares e verificou que os internamentos por enfarte agudo do miocárdio, entre os 35 e os 54 anos, aumentaram de 27% em 1995-99 para 32% em 2010–14.

Precisa-se de estratégias

"Não é o primeiro estudo que revela que as mulheres são de certa forma negligenciadas no tratamento do enfarte. Os profissionais de saúde devem reconhecer esse facto e desencadear estratégias para contrariar essa tendência", comenta José Ferreira Santos, médico e secretário-geral da Sociedade Portuguesa de Cardiologia.

Para este especialista, "algumas das diferenças detetadas podem estar relacionadas com o facto de as mulheres apresentarem sintomas menos típicos de enfarte do miocárdio, ou seja, muitos dos sinais que as pessoas conhecem, como a dor torácica, são mais comuns nos homens, enquanto os elementos do sexo feminino tendem a manifestar sintomas como cansaço extremo, pressão intermitente no peito e dor nos braços, costas, pescoço, maxilares ou estômago".

10 conselhos médicos para ter um coração de ferro
10 conselhos médicos para ter um coração de ferro
Ver artigo

Embora seja consensual que as mulheres tendem a sofrer mais de doenças cardiovasculares, principalmente após a menopausa, as mulheres que tiveram enfartes, AVC e outras doenças cardiovasculares "continuam a apresentar taxas de mortalidade desproporcionalmente mais altas que os homens", comentou Joseph A. Hill, editor-chefe da revista Circulation.

O cardiologista José Ferreira Santos e a Sociedade Portuguesa de Cardiologia apelam todas as mulheres para que possam estar atentas ao seu coração adotando seis formas de manter um coração saudável:

1. Praticar atividade física

30 minutos de atividade por dia podem ajudar a prevenir enfartes e AVC. Tente fazer do exercício uma parte regular da sua vida, por exemplo, usando as escadas em vez do elevador ou descendo do autocarro algumas paragens antes e fazendo o resto do caminho a pé;

2. Deixar de fumar e proteja-se do fumo do tabaco

O risco de doença das artérias coronárias reduz para metade um ano após deixar de fumar e retornará ao nível basal após vários anos. Evite ambientes repletos de fumo: a exposição ao fumo passivo aumenta significativamente o risco de enfarte;

3. Manter um peso saudável

A manutenção de um peso adequado e a diminuição da ingestão de sal ajuda a controlar a pressão arterial e diminui o risco de doença cardiovascular e de AVC;

10 mentiras (em que acreditou) sobre a hipertensão
10 mentiras (em que acreditou) sobre a hipertensão
Ver artigo

4. Conhecer os seus números

Avalie regularmente os seus níveis de pressão arterial, colesterol e glicose. A hipertensão arterial é o fator de risco número um para AVC e um fator importante para todas as doenças cardíacas. Níveis elevados de colesterol e glicose no sangue também aumentam o risco;

5. Seguir uma alimentação saudável

Coma muita fruta e legumes frescos, uma grande variedade de grãos integrais, carne magra, peixe, ervilhas, feijões, lentilhas e alimentos com baixo teor de gorduras saturadas. Desconfie de alimentos processados, que geralmente contêm altos níveis de sal. Bebe 1,5 l de água por dia;

6. Estar familiarizado com os sinais de alerta

Habitualmente, os ataques cardíacos manifestam-se de maneira diferente nas mulheres. Aprenda os sinais de alerta pois quanto mais cedo for solicitada ajuda médica, maiores são as hipóteses de uma recuperação completa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.