Um novo medicamento para o vírus da imunodeficiência humana(VIH) pode ser a solução para a travar o avanço do alzheimer, do parkinson, da degenerescência macular e até da artrite. A lamivudina, um fármaco antiviral em fase de ensaios clínicos, conseguiu retardar "significativamente" os sinais de envelhecimento associados a estas patologias, garantem os autores de um estudo que a revista Nature acaba de divulgar.

Até agora, só foi testado em ratos mas, segundo os investigadores, os resultados preliminares são promissores. O novo medicamento combate a inflamação dos tecidos, um dos fatores na origem dessas doenças, asseguram os cientistas da Universidade de Nova Iorque, da Brown University, da Universidade de Rochester, da Universidade da Virgínia nos EUA e da Universidade de Montreal no Canadá.

"Quando lhes começámos a administrar este medicamento contra o VIH, observámos efeitos anti-inflamatórios surpreendentes", assegura John Sedivy, professor de ciências médicas e biologia, um dos autores do estudo. Ainda assim, a sua prescrição não será para já. "Ainda há muito trabalho para fazer", assume. "Ainda não entendemos toda a complexidade do processo de envelhecimento", refere ainda.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.