Os projetos em causa envolvem o recurso a terrenos municipais para construção de três imóveis de raiz e estão distribuídos por Canedo, Milheirós de Poiares e São Paio de Oleiros, freguesia onde a nova USF também servirá os utentes da localidade contígua de Nogueira de Regedoura.

O projeto para Milheirós já foi sujeito em 2013 a um concurso público, mas, como esse ficou deserto pelo facto de 600.000 euros ser então considerado um valor da adjudicação insuficiente, o município reforçou essa verba em 100.000 euros e vai agora candidatar o conjunto das três obras a fundos comunitários.

A expectativa do vereador com o pelouro da Saúde na Câmara da Feira, no distrito de Aveiro, é que uma comparticipação máxima permita aumentar ainda mais o orçamento disponível para as três USF, até porque "estas obras são decisivas para dar condições dignas aos cuidados de saúde primários de Canedo e Milheirós, e para melhorar os de São Paio de Oleiros e Nogueira da Regedoura".

Vítor Marques apontou à Lusa, contudo, algumas diferenças entre os projetos: em Canedo e Milheirós, as duas USF são uma ambição antiga porque os centros de saúde locais vêm funcionando em espaços que, cedidos pelas juntas de freguesia, "não têm condições para a prática de atos médicos"; já em Nogueira, a situação é menos grave, mas, como a USF que aí existe também tem um polo em Oleiros, "surgiu a oportunidade de se passar para lá a equipa toda", ficando um novo edifício a servir os utentes das duas localidades.

O vereador disse que a construção da unidade de Milheirós custará os mesmos 700.000 euros que a de Canedo, mas admitiu que esse valor poderá não ser suficiente para atrair construtores ao concurso público a lançar no próximo mês de março porque, a avaliar pelo primeiro caso e pelo concurso público inicial, "um aumento de 100.000 euros de 2013 até agora só cobre praticamente a subida normal dos preços".

Já relativamente à USF de Oleiros e Nogueira, o orçamento é de 1,5 milhões de euros, valor "mais ajustado" ao edifício a criar de raiz na fronteira entre uma freguesia e a outra, considerou o autarca.

O próximo concurso público irá abranger, em todo o caso, o conjunto das três empreitadas e, decorrendo os procedimentos da melhor forma, Vítor Marques espera lançar as obras no final de 2020 e ter as USF prontas a funcionar até meados de 2022.

"Ainda falta assegurar melhores condições a outras unidades de saúde do concelho, mas Santa Maria da Feira pode-se orgulhar de ter dos melhores índices de desempenho global na sua rede de cuidados primários. Há seis anos o Agrupamento de Centros de Saúde Arouca-Feira estava em 23.º lugar a esse nível entre os 25 municípios da Administração Regional de Saúde do Norte e agora está no ‘top’ 5", conclui o vereador.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.