Os distúrbios de sono durante a gravidez podem aumentar os riscos de a mulher desenvolver diabetes nesse período da vida, principalmente se a gestante estiver com excesso de peso, segundo um estudo apresentado no Encontro Científico da Associação Americana de Diabetes.

De acordo com os investigadores, a gravidez é associada com uma redução na qualidade de sono, e, se isso for determinado por distúrbios respiratórios, há mais hipóteses de as mulheres terem diabetes gestacional - problema associado a piores resultados na gravidez, incluindo bebé com baixo peso e menor estatura.

Avaliando 157 gestantes, os especialistas observaram que a maioria tinha uma má qualidade de sono - 92% tinham interrupções no sono -, 40% apresentavam alto índice de sonolência diurna, e mais de um quarto tinha maior risco de distúrbios respiratórios de sono.

Segundo os cientistas, 20% apresentaram tolerância à glicose anormal (problema associado à diabetes) - sendo 20 mulheres com diabetes gestacional e 11 com um valor apenas anormal. E essas mulheres, em média, eram mais velhas (média de 31 anos, contra 28 anos), tinham mais hipóteses de estarem acima do peso antes da gravidez, e maior prevalência de diabetes num familiar de primeiro grau (66,7% vs. 21,6%), comparadas com àquelas com tolerância à glicose normal.

As análises de questionários sobre a qualidade de sono não indicaram, entre esses dois grupos, diferenças significativas em relação à sonolência diurna, qualidade de sono, duração do sono, humor, risco de distúrbios respiratórios de sono e peso do bebé ao nascer. Por outro lado, avaliando o sono das gestantes através de um equipamento chamado polissonografia, os especialistas observaram uma baixa eficiência do sono e maior índice de apneia do sono entre as diabéticas. Além disso, as diabéticas que apresentavam problemas respiratórios de sono tinham filhos com menor peso ao nascer.

«A gravidez é associada a uma redução na qualidade de sono e um aumento na sonolência diurna», destacaram os investigadores.

«Apesar de os questionários não revelarem diferenças na qualidade do sono entre mulheres com tolerância à glicose normal e mulheres com tolerância à glicose anormal, as últimas tiveram prevalência extremamente alta de distúrbios respiratórios do sono na polissonografia», continuaram os especialistas, acrescentando que «as mulheres com diabetes gestacional e com distúrbios respiratórios do sono tinham recém-nascidos menores do que aquelas sem distúrbios respiratórios».

Baseados nos resultados, os especialistas recomendam que as gestantes com excesso de peso e obesidade sejam acompanhadas de perto e submetidas a testes à diabetes gestacional e distúrbios como a apneia, a fim de se evitar problemas e resultados adversos para a gravidez.

2010-06-29

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.