O Dia do Euromelanoma assinalou-se dia 11 de maio com a campanha Pan-Europeia para a prevenção do cancro cutâneo. Esta campanha tem como objectivo dar informação a todos sobre prevenção de cancro cutâneo, diagnóstico precoce e tratamento.
A iniciativa teve origem na Bélgica em 1999 e envolveu vários países. Portugal foi incluido Portugal no ano 2000 e, em 2011, esta campanha irá decorrer em 29 países dispersos por toda a Europa.

Neste dia pretende-se disponibilizar um rastreio gratuito de cancro da pele, particularmente àqueles que se incluam nos grupos com maior factor de risco de desenvolverem cancro da pele. O mês de Maio foi o escolhido pelos diferentes países que dedicarão pelo menos um dia ao despiste gratuito referido.

Grupos de pessoas com maior risco de desenvolverem cancro da pele:

- Pele clara ou sardenta (Fotótipo 1-2, 3);
- Antecedentes de queimaduras solares (sobretudo em criança e adolescente);
- Antecedentes de residência em climas tropicais sobretudo em idade jovem (e que sofreram queimaduras solares);
- Antecedentes pessoais ou familiares de cancro da pele;
- Frequentadores de solários;
- Imunossuprimidos por medicação, por exemplo, os transplantados;
- Actividade profissional (construção civil, agricultura, pesca) ou de lazer (desportos ao ar livre: atletismo, ciclismo, ténis, desportos naúticos…);
 - Presença de múltiplos sinais (nevos, sobretudo nevos atípicos).

Estudo Europeu Solários 2011
Neste estudo europeu, realizado em 17 países, que se baseou em inquéritos efectuados aos participantes no dia do Euromelanoma em 2009 e 2010, ficou demonstrado que os Portugueses eram os que tinham melhor conhecimento dos riscos dos solários e aqueles que menos frequentavam os solários, comparando, por exemplo, com os espanhóis e italianos que eram dos que mais frequentavam os solários.

Consequências práticas a médio/ longo prazo:
 - Menor incidência de cancros da pele relacionados com a utilização de solários;
-  Uso mais frequente nas mulheres;
- Aumento de risco de melanoma c/ idade de inicio e nº de sessões;
- Sessões de 5minutos / (+ 10 sessões) >> aumento de risco melanoma em 19 por cento.

Importância da informação da população sobre efeitos nocivos a curto e longo prazo das queimaduras solares

O estudo foi realizado em 19 países europeus, com base em inquéritos efectuados aos participantes no dia do Euromelanoma em 2009 e 2010, ficou demonstrado que os Portugueses eram dos que mais relatavam antecedentes de queimaduras solares (5º em 19 países nas pessoas de pele clara, 2º em 19 países nas pessoas de pele mais escura)

Consequências práticas a médio/ longo prazo:
 - Maior incidência de cancros da pele (sobretudo carcinoma basocelular e melanoma) relacionados com os antecedentes de queimaduras solares, particularmente se essas queimaduras foram em crianças, adolescentes e jovens adultos, sobretudo se repetidas;

- Cuidado com as férias “relâmpago”, fora da época estival, sobretudo quando a pele não estava preparada ou exposta gradualmente ao sol , bem como as férias em “trópicos” ou expostas no horário vermelho (12h às 16h) nos dias de ultravioleta elevado (UV) seja no trabalho ou lazer.  Cuidados extra com os dias enevoados ou ventosos.

Consulte também o Dossier Cuidado com o Sol 

14 de maio de 2011

@SAPO

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.