“Vamos enfrentar o que está aí e tentar, de todas as formas, reduzir o número de infetados e de mortes, que já ultrapassou o limite do bom senso”, disse Mourão em declarações aos jornalistas.

O vice-presidente afastou a possibilidade de um confinamento geral a nível nacional para conter o alto número de infeções e mortes durante o pior da pandemia no Brasil, mas demonstrou ser favorável às medidas de distanciamento social impostas por governadores e prefeitos.

“Essas medidas restritivas deveriam ficar a cargo de governadores e prefeitos, porque cada um sabe da situação da rua, da região. O Governo federal precisa dar apoio em termos de recursos financeiros para melhorar a situação da população”, afirmou Mourão.

As palavras de Mourão contrariam o discurso do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que apelou ao Supremo Tribunal Federal (STF) para impedir que governadores regionais e municipais imponham medidas restritivas para impedir o avanço do novo coronavírus.

Bolsonaro, que continuamente desdenha da gravidade da doença, tenta moderar o tom diante das crescentes pressões contra a sua gestão errática da pandemia e declarou pela primeira vez “que a vida vem em primeiro lugar”, na quarta-feira.

O Presidente, porém, mais uma vez defendeu o chamado “tratamento precoce” contra o novo coronavírus, que inclui medicamentos como a cloroquina cuja eficácia no combate à covid-19 não foi comprovada cientificamente.

De acordo com o último balanço do Ministério da Saúde, o Brasil, um dos países do mundo mais afetados pela pandemia, acumula um total de 300.685 mortes e 12.220.011 casos da covid-19 desde o início da crise sanitária.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.745.337 mortos no mundo, resultantes de mais de 124,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.