O número representa uma ligeira baixa em relação às 24 horas anteriores, de sexta-feira para sábado, quando se registaram 630 mortes, o número diário mais elevado até então.

“Ainda é demasiado cedo” para tirar conclusões, disse o governador em conferência de imprensa, frisando que pode ser uma evolução episódica.

O estado de Nova Iorque tem atualmente 122.031 casos, mais 8.327 do que no sábado, número que também apresenta uma redução, já que de sexta-feira para sábado o número de novas infeções foi de 10.841.

A cidade de Nova Iorque é a área mais atingida, com 67.551 do total de casos confirmados no estado.

Da mesma forma, reduziu-se o número de novas hospitalizações, havendo hoje em todo o estado 16.479 pessoas internadas, mais 574 do que no sábado, 4.376 das quais nos cuidados intensivos.

Verifica-se uma “ligeira estabilização”, disse Cuomo, e Nova Iorque pode estar “perto do vértice”, mas só podem ser retiradas conclusões “nos próximos dois ou três dias”.

Os Estados Unidos são o país do mundo mais afetado em número de casos, com 312.481 pessoas infetadas, e o terceiro em número de mortos (8.503), depois de Itália (15.362) e Espanha (12.418).

O estado de Nova Iorque concentra mais de um terço do total de casos no país e quase metade das mortes.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 65 mil.

Dos casos de infeção, mais de 233 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.