“Vamos ter que fechar para que os alunos tenham segurança e vigilância”, pois, os funcionários disponíveis para vigiar espaços e efetuar a limpeza são insuficientes, justificou à agência Lusa a diretora do agrupamento escolar, Maria de Lurdes Brito.

Segundo a responsável, a escola, com 647 alunos, tem 13 funcionários com tarefas de vigilância de espaços comuns e limpeza, mas, atualmente, seis deles estão infetados com covid-19.

Maria de Lurdes Brito indicou que o refeitório da escola vai estar fechado, pelo menos, na terça e na quarta-feira e que o funcionamento desta valência será retomado “à medida que os funcionários possam regressar” ao trabalho.

“Estamos a avaliar, diariamente, a situação, sempre com o objetivo de não fecharmos a escola e os alunos continuarem a ter aulas”, sublinhou.

Nos próximos dois dias, serão asseguradas as refeições aos alunos que não possam ir a casa almoçar através da distribuição de comidas rápidas, como bifanas, omeletes, sandes e fruta, acrescentou a diretora.

O número de alunos que tem que fazer a refeição na escola está ainda a ser apurado, disse.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.