“Todas aquelas pessoas que temos referido que ficaram em vigilância e observação domiciliária correspondem aquelas que tiveram sintomatologia ligeira a moderada. Foi possível permanecer em domicílio. 80 a 85% tiveram sintomatologia muito ligeira a moderada”, disse Graça Freitas.

A diretora-geral da Saúde, que respondia a uma pergunta sobre que percentagem de infetados que não manifestaram sintomas clinicamente valorizáveis, na conferência de imprensa diária de sobre a pandemia em Portugal, referiu que foram “encontrados casos positivos em pessoas que nem chegam a apresentar sintomas”, uma situação, acrescentou, “como aliás está a ser comunicada e a acontecer no mundo todo”.

“Não foram frequentes os casos que agravaram essa sintomatologia e foram encaminhados ao hospital”, referiu a diretora-geral da Saúde.

Graça Freitas também foi hoje questionada sobre o documento que define regras para a reabertura da época balnear, tendo confirmado que “muitas instituições estão a dar o seu parecer técnico”.

“Temos de ter em conta duas circunstâncias: a avaliação do risco que a atividade balnear contém e a proposta de soluções. Por parte da saúde essa parte ainda não está terminada”, disse.

Já o secretário de Estado da Saúde, quando confrontado com o facto da Autoridade de Saúde Regional dos Açores ter anunciado que já começou a testar alunos e professores de cinco ilhas, estando em causa o regresso às escolas, disse que para o território continental “não há uma decisão definitiva sobre essa matéria”.

“A região tem autonomia política e administrativa e, portanto, a região deve tomar as medidas que achar necessárias (…). Estamos ainda a estudar essa matéria [de fazer no território continental]. Não há uma decisão definitiva sobre essa matéria”, disse António Lacerda Sales.

A Autoridade de Saúde Regional dos Açores anunciou na terça-feira que começou a testar por infeção pelo novo coronavírus alunos e professores de cinco ilhas, estando em causa o programado regresso às escolas.

Portugal regista hoje 1.175 mortes relacionadas com a covid-19, mais 12 do que na terça-feira, e 28.132 infetados, mais 219, segundo o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção Geral da Saúde.

Em comparação com os dados de terça-feira, em que se registavam 1.163 mortos, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 1,03%.

Relativamente ao número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus (28.132), os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) revelam que há mais 219 casos do que na terça-feira (27.913), representando uma subida de 0,8%.

A região Norte é a que regista o maior número de mortos (667), seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (257), do Centro (221), do Algarve (14), dos Açores (15) e do Alentejo, que regista um caso, adianta o relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24:00 de terça-feira, mantendo-se a Região Autónoma da Madeira sem registo de óbitos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.