A bordo do C-17 Globemaster viajou ainda uma equipa médica de apoio australiana (AUSMAT) formada por um epidemiologista e um especialista médico que vai apoiar a equipa de vigilância do Ministério da Saúde que está a lidar com o combate à covid-19.

Os materiais a bordo, que incluem material de higiene, para abrigos temporários e para a preparação de alimentos, vão ser agora distribuídos por organizações não-governamentais (ONG) da Australian Humanitarian Partnership (AHP) em Timor-Leste

Entre o material enviado da Austrália estão equipamentos de proteção pessoal (EPP) destinados a substituir o stock que foi destruído devido às inundações do passado dia 04 de abril.

“Os EPP respondem às necessidades imediatas de resposta à covid-19. Segue-se a um envio anterior de mais de 550 quilos de EPP na semana passada”, refere uma nota da Embaixada da Austrália em Díli enviada à Lusa.

“Este apoio de emergência soma-se ao apoio imediato que a Austrália tem vindo a fornecer ao longo da semana a milhares de pessoas em locais de acolhimento temporário”, explica, referindo-se aos milhares de famílias deslocadas devido às cheias.

Recorde-se que o Governo australiano anunciou na semana passada ter aprovado um apoio adicional de emergência no valor de sete milhões de dólares australianos (cerca de 5,9 milhões de euros).

O Ministério dos Negócios Estrangeiros explicou que o apoio se destina a colmatar requisitos básicos de segurança alimentar, e ainda a reforçar a resposta à pandemia.

Em concreto, será dado apoio financeiro à Cruz Vermelha e a outras organizações locais e não-governamentais que estão a prestar assistência no terreno, bem como ao Programa Alimentar Mundial, na resposta às necessidades alimentares.

A Austrália vai ainda disponibilizar equipamentos de assistência urgente, como abrigos temporários e artigos domésticos básicos, bem como equipamento de proteção individual contra a covid-19, para reabastecer as lojas afetadas pelas cheias.

Estes sete milhões de dólares (5,9 milhões de euros) são um “apoio adicional” ao “amigo e vizinho Timor-Leste”, já que, recorda o Governo, a Austrália prestou “auxílio imediato no terreno, em Díli, a milhares de pessoas”, em operações de evacuação e abrigo e de restauração de energia nos centros de resposta à covid-19 e nas instalações da polícia.

A Austrália diz-se ainda disponível para “fornecer assistência adicional”, nomeadamente através de especialistas em saúde para apoiar a gestão da pandemia e a vacinação.

“A Austrália está também a trabalhar com o Governo de Timor-Leste na resposta às necessidades de vacinas contra a covid-19″, sublinhou a chefe da diplomacia, Marise Payne, no comunicado conjunto com Zed Seselja, ministro para o Desenvolvimento Internacional e o Pacífico.

Já no sábado, o Governo australiano tinha anunciado que iria apoiar os vizinhos, entre os quais Timor-Leste, com vacinas contra a covid-19.

Numa primeira fase, a Austrália vai distribuir “pelo menos dez mil doses de AstraZeneca por semana” aos países da região e o objetivo é ir aumentando o montante à medida das necessidades.

A Austrália canalizou 524 milhões de euros para uma iniciativa de vacinação na região da Ásia-Pacífico, em complemento aos 67,2 milhões de euros com que contribuiu para a aliança global de vacinação Covax, que pretende assegurar que 20 por cento da população de 92 países em desenvolvimento esteja vacinada até ao final de 2021.

Timor-Leste vive atualmente o pior momento da pandemia, registando este mês os primeiros dois mortos de pessoas infetadas com covid-19 e um aumento significativo de casos de infeções com o SARS-CoV-2.

A situação agravou-se com as cheias de 03 e 04 de abril que causaram 36 mortos e 10 desaparecidos e afetaram mais de 25 mil famílias em todo o país.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.