A corrida para desenvolver uma vacina contra o novo coronavírus avança rapidamente. Na terça-feira, o governo chinês anunciou que tinha desenvolvido com sucesso uma vacina contra o vírus SARS-CoV-2 e que já tinha também autorizado os testes em humanos, contudo sem avançar quando poderiam começar.

Um dia antes, já os EUA tinham iniciado os primeiros testes em 45 voluntários saudáveis. Os investigadores garantem que serão necessários vários meses para saber se as vacinas funcionam e se não causam efeitos secundários nocivos.

Recomendações da DGS

A DGS acompanha a situação da expansão do novo coronavírus e recomenda:

  • Em Portugal, caso apresente sintomas de doença respiratória e tenha viajado de uma área afetada pelo novo coronavírus, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.
  • Evitar o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas; evitar o contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
  • Evitar o contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Evitar o consumo de produtos de animais crus, sobretudo carne e ovos;
  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país onde se encontra.

A BBC News reuniu as várias iniciativas para desenvolver vacinas contra o novo coronavírus:

China

Segundo o governo da China, a vacina foi desenvolvida pela equipa de investigadores da Academia Militar de Pesquisa Médica, ligada à Academia Militar de Ciências.

A epidemióloga Chen Wei, que lidera o grupo, disse que a vacina cumpre todos os padrões internacionais e regulamentos locais, e que está pronta para "uma produção em grande escala, segura e efetiva".

Além desta vacina, várias instituições chinesas disseram na terça-feira que vão inciar em abril os testes clínicos para comprovar a eficiência de várias vacinas em que têm trabalhado. Uma dessas vacinas já está a ser testada em animais.

Também em abril ocorrerão os testes de uma vacina desenvolvida na plataforma mRNA, segundo o sub-diretor da Comissão Municipal de Saúde de Xangai, Yi Chengdong. Esta vacina foi criada a partir de proteínas virais derivadas das proteínas estruturais de um vírus.

EUA

Os primeiros testes de uma vacina contra o novo coronavírus nos EUA estão a ser feitos em Seattle pela organização Kaiser Permanente. Segundo uma nota divulgada pela instituição, os primeiros quatro voluntários receberam na terça-feira passada os primeiros testes.

A vacina não poderá causar a covid-19, pois contém um código genético inofensivo copiado do vírus que provoca a doença.

Os trabalhos saltaram um passo que normalmente é seguido nessas iniciativas: garantir primeiro que a vacina consiga provocar uma resposta imune em animais.

Alemanha

A imprensa alemã noticiou no domingo que o governo dos EUA tinha oferecido ao laboratório alemão CureVac "grande quantias de dinheiro" para ter acesso exclusivo a uma vacina para o covid-19.

O ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, disse que a compra do laboratório CureVac pelo governo Trump estava "fora de questão", e que a empresa desenvolveria a vacina "para todo o mundo", e "não para países específicos".

Brasil

O imunologista Jorge Kalil, diretor do laboratório de imunologia do Instituto do Coração (Incor), em São Paulo, lidera um estudo para desenvolver no Brasil a vacina contra o novo coronavírus.

Estes cientistas irão sintetizar em laboratório uma parte de uma proteína do coronavírus, importante para a penetração na célula, e tencionam chegar, nos próximos meses, a uma vacina. Será testada primeiro em animais e, caso os testes tenham bons resultados, o objetivo é que possam ser aplicada em humanos dentro de um ano e meio.

O novo coronavírus em Portugal e no mundo

Desde o início da pandemia, em dezembro do ano passado, 217.510 pessoas foram infetadas com Covid-19 em 157 países e 9.020 morreram.

Morreram mais 236 pessoas e foram registados 8.015 novos casos desde o fim da tarde de quarta-feira.

Em Portugal, o número de mortos subiu hoje para três, com 785 casos confirmados, segundo a Direção-geral da Saúde.

A Assembleia da República aprovou ontem o decreto de declaração do estado de emergência que lhe foi submetido pelo Presidente da República com o objetivo de combater a pandemia de Covid-19, após a proposta ter recebido pareceres favoráveis do Conselho de Estado e do Governo.

Portugal está em estado de alerta desde sexta-feira, e o Governo colocou os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão.

Entre as medidas para conter a pandemia, o Governo suspendeu as atividades letivas presenciais em todas as escolas desde segunda-feira e impôs restrições em estabelecimentos comerciais e transportes, entre outras.

O Governo também anunciou o controlo de fronteiras terrestres com Espanha, passando a existir nove pontos de passagem e exclusivamente destinados para transporte de mercadorias e trabalhadores que tenham de se deslocar por razões profissionais.

O Governo declarou na terça-feira o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Acompanhe aqui, ao minuto, todas as informações sobre o novo coronavírus em Portugal e no mundo.

Coronavírus: qual a origem?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.