Os resultados do trabalho, feito por uma equipa da Universidade McMaster, foram divulgados hoje na publicação científica ACS Nano.

Em comunicado, a universidade refere que o revestimento plástico transparente tem uma textura rugosa, tal como a folha de lótus, que repulsa substâncias externas.

Os 10 sítios da cozinha com mais bactérias perigosas
Os 10 sítios da cozinha com mais bactérias perigosas
Ver artigo

"Uma gota de água ou sangue, por exemplo, é expulsa simplesmente quando cai na superfície [do revestimento]. O mesmo se passa com as bactérias", sublinha o comunicado.

Segundo os autores da investigação, Eric Brown e Omar El-Halfawy, o revestimento plástico foi testado com sucesso em dois tipos de bactérias resistentes a antibióticos, a 'Staphylococcus aureus' resistente à meticilina' (MRSA) e a 'Pseudomonas'.

O material, produzido à escala nanométrica, pode ser aplicado em diversas superfícies, nomeadamente as mais propensas à propagação de bactérias, como maçanetas de portas, corrimões e bancadas de cozinhas ou hospitais.

É igualmente indicado para embalagens de comida, inclusive de carne crua, que, por vezes, é contaminada acidentalmente por bactérias patogénicas na origem de infeções gástricas, como a 'E.coli', a 'Salmonella' e a 'Listeria', revela um comunicado daquela universidade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.