O objetivo é pôr os investigadores portugueses a trabalhar com estes dados, garantindo a sua total confidencialidade, de modo a ajudarem as autoridades públicas e de saúde a encontrar respostas mais eficazes para combater a pandemia.

COVID-19: Todos os países que declararam estado de emergência nas últimas semanas
COVID-19: Todos os países que declararam estado de emergência nas últimas semanas
Ver artigo

Entre os signatários deste apelo estão Nuno Sousa (presidente da Escola de Medicina da Universidade do Minho), Altamiro da Costa Pereira (diretor da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto - FMUP), Carlos Oliveira (conselheiro do Conselho Europeu de Inovação) e investigadores da FMUP, do CINTESIS - Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde e da Escola de Medicina da UMinho.

De investigadores a académicos, de estudantes a profissionais de saúde, têm sido muitos os nomes a subscrever a petição, por considerarem que estes dados devem ser estudados por vários grupos de investigação, com diferentes abordagens.

“Cenários de emergência como o que vivemos atualmente requerem respostas imediatas que não se coadunam com atrasos na disponibilização de dados para a comunidade científica”, lê-se no manifesto.

“Existe em Portugal uma comunidade científica de grande qualidade que está disponível para ajudar a encontrar as respostas que o país necessita para fazer frente a esta pandemia e urgência de saúde pública no imediato, mas também a médio e longo prazo”, realçam os docentes e investigadores.

Esta iniciativa surge depois de uma carta aberta, endereçada no início da semana aos órgãos do governo, pelos mesmos signatários da petição.

A petição online pode ser assinada aqui.

Acompanhe ao minuto os efeitos do COVID-19 no país e no mundo

Os vírus e os coronavírus: quais as diferenças?

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.