A subsidiária da farmacêutica norte-americana Janssen testará a vacina em 7.000 voluntários em sete estados do Brasil, parte de um grupo de até 60.000 em todo o mundo, informou a agência reguladora de saúde Anvisa em comunicado.

De acordo com a agência, o teste será um ensaio randomizado, controlado, duplo-cego de Fase 3, ou teste em larga escala em humanos - a última etapa antes da aprovação regulatória.

"Mais um estudo (de vacina) aprovado no Brasil, é muito importante”, disse o funcionário da Anvisa Gustavo Mendes num vídeo no site da agência reguladora.

O Brasil tornou-se um importante campo de testes na busca por uma vacina contra o COVID-19, uma vez que o vírus ainda se espalha rapidamente no país, que tem o segundo maior número de infeções e mortes na pandemia, depois dos Estados Unidos: quase 3,5 milhões e 110.000, respetivamente. 

O Brasil também aprovou três outros ensaios de Fase 3 de vacinas candidatas, desenvolvidos pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, a farmacêutica chinesa Sinovac Biotech e a americana Pfizer em parceria com a alemã BioNTech.

O estado brasileiro do Paraná também assinou um acordo na semana passada para testar e produzir a vacina russa "Sputnik V", que se tornou a primeira no mundo a receber aprovação regulatória.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.