Um estudo feito em 12 países dos cinco continentes, com recolhas que foram analisadas pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade do Minnesota, nos Estados Unidos, conclui que 83% da água potável continha microplástico. A conclusão é inédita, já que apenas se tinha estudado a presença de plástico nos oceanos, lagos e rios e nunca em canalizações domésticas.

A chefe da divisão de engenharia sanitária do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, Maria João Rosa, diz que este alerta deve servir para fazer mais estudos, mas garante que é seguro beber água da torneira em Portugal, cita a TSF: "A extensão desse perigo associado à presença desses microplásticos na saúde humana ainda não está provada. Devemos minimizar as fontes de libertação no ambiente, nomeadamente na água, mas podemos continuar a beber água da torneira".

Segundo o estudo, os Estados Unidos lideram a lista dos países com maior taxa de contaminação, com 94%, onde se incluem edifícios como o Congresso, a sede da Agência de Proteção Ambiental e a Trump Tower, em Nova Iorque. Na Europa, o Reino Unido, Alemanha e França registam a menor taxa de contaminação, com cerca de 72%. A equipa de investigadores explica ainda que o número médio de fibras encontradas em cada amostra de 500 ml de água variou de 4,8% nos Estados Unidos para 1,9% na Europa.

Químicos tóxicos para o ser humanao

Os cientistas suspeitam que as fibras de microplástico contêm produtos químicos tóxicos para o ser humano, que se acumulam no organismo podendo conduzir à desregulação do sistema endócrino, por exemplo.

Todos os anos, 270 milhões de toneladas de plástico são produzidas em todo o mundo, sendo que mais de 40% é descartado após a primeira utilização.

Veja ainda: 10 coisas perigosas que põe no lixo (e não devia)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.