“Esta campanha de imunização contra o sarampo faz parte da resposta nacional para impedir a propagação do surto, salvar a vida de crianças pequenas e reduzir a carga sobre os sistemas de saúde”, disse o representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Afeganistão, Luo Dapeng.

As autoridades sanitárias do Governo talibã, com o apoio da agência da ONU, esperam cobrir 49 distritos de 24 províncias afegãs, numa campanha que começou no passado sábado e termina nesta quinta-feira.

A OMS alertou para um aumento alarmante de casos de sarampo no Afeganistão, um surto que começou no início de 2021 devido à “acumilação de um número elevado de crianças menores de 05 anos que não foram imunizadas”.

Entre janeiro de 2021 e o último domingo, o país registou 48.366 casos e 250 mortes e., só neste ano, 142 crianças já morreram devido à doença.

O número crescente de casos de sarampo é “particularmente preocupante” quando somado aos “níveis extremamente altos de subnutrição” no Afeganistão, disse a OMS.

O sarampo é particularmente perigoso entre as crianças que sofrem de subnutrição, que após contraírem sarampo sem terem sido vacinadas, podem apresentar sintomas como cegueira, encefalite, diarreia grave, desidratação e doenças respiratórias como pneumonia.

O Afeganistão enfrenta uma crise humanitária e económica agravada pela tomada do poder pelos talibãs em agosto, o consequente isolamento internacional, bem como o congelamento de fundos afegãos no estrangeiro e o corte das ajudas diretas.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.