Na nossa sociedade, é cada vez mais é comum ouvir-se falar de ansiedade e depressão: casos em que as emoções se apoderam da vida das pessoas. Uma das razões pelas quais isto parece acontecer cada vez mais, é o facto de atualmente vivermos sob muito stress e agitação, constantemente ativados pelas rotinas agitadas, trânsito, conflitos, excesso de trabalho e não possuirmos as ferramentas necessárias para lidar com estes desafios. Existe em muitos de nós uma dificuldade em lidar com a experiência de algumas dessas mesmas emoções, podendo surgir a sensação de impotência perante as mesmas, sendo cada vez mais dominados por elas.

Mas qual é o problema afinal? As emoções são as inimigas? A resposta é “Não”. O problema não é sentir ansiedade, é ela dominar o nosso dia-a-dia ao ponto de nos impedir de desfrutar da vida.  O problema não é estar triste, mas sim, achar que isso é um problema e fugir de tudo o que pode despoletar esse sentimento. Então, o problema não são as emoções em si próprias, mas a forma como lidamos com elas e respondemos perante elas.

Muitas pessoas conseguem lidar bem com o estilo de vida agitado da sociedade ocidental e não serem dominadas por as suas respostas emocionais, mas a grande maioria sofre as sequelas dessa exposição contínua. Podemos vê-las constantemente ativadas, irritadas, depressivas ou explosivas. Muitas sentem-se sobrecarregadas, incapazes de lidar com as emoções que surgem diariamente.

Como consequência, desenvolvem formas desadaptativas de lidar com elas, consumindo álcool, drogas, comendo compulsivamente, ou até fugindo e evitando as situações despoletadoras das emoções às quais querem escapar. Estas pessoas esquecem-se que estas soluções são apenas temporárias e apesar do benefício a curto prazo, a longo prazo, trarão mais desregulação e dificuldades.

O treino da regulação emocional permite, então, ajudar as pessoas a lidar com as suas emoções de forma mais equilibrada e saudável. A regulação emocional caracteriza-se pela capacidade de identificar, compreender e controlar as reações emocionais, assim como os comportamentos daí consequentes. Permite à pessoa ser emocionalmente saudável. Manter a calma em situações de stress, ser assertiva, usar o diálogo, resolver conflitos de forma adaptativa, não cair no descontrolo e ser dominada pela tristeza ou raiva.

Um dos objetivos principais é a aprendizagem de estratégias mais adaptativas que permitam o reconhecimento e processamento de comportamentos que estimulam, tanto a curto quanto a longo prazo, um funcionamento mais produtivo. Os passos da terapia passam pela compreensão do processo emocional e dos processos envolvidos e posteriormente do desenvolvimento de respostas mais benéficas que permitam um desenvolvimento saudável.

Não se deixe controlar pelas suas emoções, faça terapia e relembre-se que quem controla o rumo da sua vida é você próprio.

Um artigo da psicóloga clínica Sara Cruz.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.