Estes são dados que catapultam a saúde mental como uma prioridade no mundo do trabalho, mas a responsabilidade primeira é de cada indivíduo para reconhecer os sinais de alerta e mudar hábitos que possam comprometer a sua saúde mental.

Por muito que as empresas se foquem no bem-estar dos seus funcionários, dando as condições ajustadas às suas necessidades, dificilmente serão eficazes na deteção precoce  ou mitigação de casos de burnout.

Reconhecer a vulnerabilidade poderá ser um passo muito importante, especialmente numa conjuntura global em que o estigma da saúde mental diminui. Conheça dicas para combater o esgotamento no trabalho.

A Adecco Portugal identifica sinais frequentes de burnout:

1. A sua motivação está no ‘fundo do poço’

Tem dificuldade em entusiasmar-se com o seu trabalho, apesar de normalmente gostar dele? Todos têm tarefas menos apelativas no conjunto das duas funções, mas se achar difícil envolver-se no trabalho de forma consistente, considere um sinal de alerta. Neste quadro, é frequente procrastinar o início de uma tarefa ou sentir dificuldades em concentrar-se por períodos de tempo mais longos.

2. Não apetece interagir socialmente

A sua capacidade de interagir produtivamente com os outros está afetada. A energia necessária para socializar pode parecer avassaladora. Pode não lhe apetecer fazer parte de projetos em que tenha de colaborar com colegas. Identifique se este sentimento se estende às relações pessoais, como por exemplo: evitar passar tempo com amigos e familiares em casa, reconhecendo que não está com capacidade emocional de interagir com eles.

3. Sente-se frustrado facilmente

Sente-se esgotado, o estado emocional é muitas vezes cru e tenso. Com o stresse e exaustão, sente-se mais propenso a sentimentos negativos e explosões. Dá consigo aborrecido com pequenas coisas que normalmente não seriam nada de especial, criticando os outros desnecessariamente ou exagerando emocionalmente.

4. Não desempenha ao seu melhor nível

Quando está exausto, talvez até consiga desempenhar tecnicamente o seu trabalho, mas reconhece que não é o seu melhor. Sente-se numa luta para completar tarefas de rotina que normalmente exigiriam pouco esforço, ou entregar trabalho que sabe que poderia ter feito melhor.

5. Está sempre a pensar no trabalho

É impossível deixar de pensar no trabalho. Está focado nas tarefas profissionais, mesmo fora do horário de trabalho. É-lhe difícil pôr de lado o trabalho e estar mentalmente presente durante o seu tempo de inactividade. Em casa, verifica constantemente o seu e-mail ou conclui tarefas de trabalho. Mesmo que não esteja a trabalhar ativamente, está sempre a pensar em trabalhar e a fazer planos.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.