Os meses de verão são, por excelência, aquele momento do ano em que tiramos uns dias para descansar, fazer uma viagem, estar com a família e os amigos, ou mesmo só para nós.

No entanto, muitas vezes só a ideia de quebrar a rotina por uns dias, pode ser motivo de ansiedade. Torna-se, então, fundamental reconhecer esses sinais e evitar que o stresse se acumule.

A Médis apresenta algumas estratégias que podem ajudar.

Aprenda a viver com os seus sentimentos: Se o stresse é, muitas vezes, motivado por algum acontecimento dramático. Por outro lado, pode dever-se ao facto de não poder estar com quem mais gosta. É absolutamente normal que se sinta triste.

Não force a boa disposição, mesmo que seja isso que as pessoas que estão próximas de si esperam. Do mesmo modo, elas vão compreender a sua tristeza.

Procure ajuda na sua comunidade: Uma das formas de combater a tristeza é ajudar os outros. Procure grupos de voluntariado na sua área de residência. A capacidade de relativizar os seus problemas face aos outros é uma boa forma de minimizar a sua tristeza.

Por outro lado, praticar boas ações na sua comunidade poderão fazê-lo sentir-se bem consigo mesmo.

Seja realista com as suas férias: Muitas pessoas insistem em realizar a imagem perfeita que têm do que devem ser umas férias. Ou, pelo menos, de repetir as atividades do ano passado, muitas vezes só por uma questão de hábito. Seja criativo.

Por exemplo, se os seus filhos já estiverem a entrar numa fase de vida adulta é normal que não venham a casa tantas vezes. Apesar disso, não deixe de celebrar o reencontro, mesmo que seja à distância de um telefonema, vídeo ou email.

Siga um orçamento: Decida, de modo realista e responsável, quanto tem efetivamente para gastar nas férias. Não se esqueça que o dinheiro não compra a felicidade e que, após as férias, a sua vida continua. Não há necessidade de criar motivos de stresse financeiro ao regressar ao trabalho.

Aprenda a dizer “não”: Dizer sim quando deveria dizer não traz consequências. Os amigos irão compreender se não poder participar em todas as atividades.

Não abandone hábitos saudáveis: Não deixe que as férias sejam uma carta verde para fazer tudo o que não devia. Poderá experimentar, mais tarde, sentimentos como a culpa ou excesso de stresse.

Não exagere numa alimentação menos saudável. Aproveite para dormir as horas que devia. O descanso é fundamental. E não deixe de fazer exercício físico só porque está de férias.

Guarde algum tempo para si mesmo: Passar 15 minutos sozinho, sem distrações, pode ser tão refrescante como qualquer outra atividade em grupo.

Procure atividades que reduzam o stresse e que mantenham a mente limpa. Atividades como dar um passeio, ouvir música, fazer uma massagem ou ler um livro podem ser tão reparadoras como uma boa noite de sono.

Se precisar, procure ajuda profissional: Apesar dos seus esforços pode vir a sentir-se triste ou ansioso, com queixas físicas, insónias, humor irritável e incapaz de enfrentar a rotina. Se estes sintomas durarem algum tempo procure ajuda especializada.

Depois das férias, é hora de regressar ao trabalho

E enganem-se aqueles que pensam que a depressão pós-férias não é real. E há até sinais de alerta, como falta de motivação para ir trabalhar ou realizar atividades simples como tomar banho, fazer a barba, dores musculares, fadiga ou alterações de sono.

Normalmente, o cérebro escolhe o foco. Por outras palavras, a atenção é seletiva. Se voltou de férias é natural que a sua atenção esteja a ser dirigida para algo coincidente com o seu estado de espírito.

Pequenas atividades que lhe dêem prazer também podem revelar-se uma boa estratégia. Seja um jantar, um fim de semana ou as próximas férias.

4 dicas para entrar num ritmo normal:

1. Um regresso tranquilo: Um dos conselhos é deixar, pelo menos, um dia livre antes de voltar ao trabalho. É um dia que pode utilizar para arrumar as roupas da viagem, tratar da lavandaria, reabastecer o frigorífico. Sem contar que, se fez férias noutro fuso horário, terá ainda de “organizar” o seu sono para o fuso horário atual.

2. Aproveite para pôr o sono em dia: Selecione um ou dois dos últimos dias de férias para deixar o sono em dia. É essencial que o regresso ao trabalho seja feito na melhor forma possível. Por outro lado, se viajarmos para outros fusos horários, o sono pode ser afetado. O corpo demora mais ou menos um dia a habituar-se a um fuso horário por dia.

3. Seja realista com os seus relacionamentos e com a viagem: Alguns casais descobrem, durante as férias, que estar juntos significa deixar a descoberto os pontos fracos da relação. A maior parte das pessoas pensa que os problemas se vão embora com as férias, mas a verdade é que eles vêm connosco.

Se imaginarmos que tudo vai ser perfeito, tal como em tudo na vida, poderemos ter alguns desapontamentos. Por outro lado, quando passamos muito tempo com uma pessoa podemos criar alguma hostilidade que favorece o ressentimento.

A melhor estratégia é reconhecer que haverá sempre alguma fricção, e que tal faz parte da vida. O “concordamos em discordar” pode fazer milagres e trazer o que realmente importa ao de cima: estar junto.

4. Deixar que as férias nos dêem energia para o resto do ano: Pode ser uma boa oportunidade para criar bons hábitos, como comer melhor e de modo mais saudável, refeições confecionadas em casa. Nas férias temos também tempo livre para praticarmos exercício físico, que além de fazer maravilhas pelo nosso sono ainda nos ajuda a não aumentarmos de peso.

Os dados são claros. Se não tirarmos férias estaremos sujeitos a um stresse físico e mental mais elevado. Tirar férias, ou a sua necessidade, é tudo menos trivial.

São uma oportunidade de recarregar baterias, de acertarmos o nosso ritmo, alterar o cenário e de melhorar a nossa atitude.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.