Quebre o ciclo

Acne, cabelo oleoso e sem volume, barriga inchada... Sim, a TPM está aí e arruina a beleza de qualquer pessoa. Aprenda tomar as rédeas da situação

Antes de começar a escrever este artigo, estava lívida e as minhas reações explosivas foram dignas de registo. Quatro dias depois, como num passe de mágica, apareceu-me a menstruação. Tudo passou a fazer sentido. Como mulher racional que sou, acho patético todos os meses ter esta sequência de sintomas e comportamentos inapropriados e, ainda assim, ser sempre apanhada de surpresa. Como é que, passados 33 anos de existência, ainda não percebi que a culpa é das minhas hormonas?

À falta de clarividência juntam-se outros fatores que não ajudam nada. A cara fica repleta de borbulhas, os músculos doem, o cabelo fica oleoso e a barriga incha com a mais insípida das sopas. Como os sintomas de tensão pré-menstrual (TPM) são mais do que muitos (mau humor, irritabilidade, inchaço e sensibilidade mamária para não falar de outros) é difícil de identificar e definir. Apesar disso, calcula-se que entre 20 a 50 por cento das mulheres em idade fértil sofrem deste mal e que 90 por cento têm sintomas físicos e/ou emocionais.

O que acontece é que nos dias que antecedem a menstruação o equilíbrio entre estrogénios e progesterona é destabilizado a favor dos estrogénios, originando os sintomas acima referidos, uma aparência cansada e desgastada e, não menos importante, uma verdadeira montanha russa de emoções. De repente ocorreu-me uma coisa. E se eu simplesmente aceitasse que o meu corpo estava a passar por uma fase transitória?

Talvez assim conseguisse limitar os estragos no visual e na mente. Foi então que, após estes anos todos de convivência conflituosa com a TPM, decidi criar um plano para voltar a ter controlo sobre o meu corpo nesta altura. Saiba no que consiste. Em Portugal, a síndrome pré-menstrual é um transtorno que afeta mais de 75% das mulheres portuguesas. Embora não existam dados objetivos para a TPM, estima-se que a percentagem seja igualmente elevada.

Estes são os comportamentos a adotar para mimimizar o problema: 

- Tome nota das suas alterações de humor

Não vale a pena entrar em negação. Faça o download de uma aplicação que ajuda a controlar o ciclo e a saber em que dias estamos ou não em TPM. Há várias aplicações que o fazem mas a Period Tracker Lite, gratuita na App Store, possibilita a criação de alertas e anota os vários sintomas dos dias de menstruação per se. É sempre bom ter uma ajuda extra.

- Durma bem

Nunca é demais repetir que o sono tem um impacto gigante no (des)equilíbrio hormonal. O corpo recupera fisicamente entre as 22 horas e as 2 horas da manhã e, psicologicamente, entre as 2 horas e as 6 horas da manhã. Para que tal aconteça na sua plenitude, neste período o ideal é recusar programas de índole social para garantir que vai para a cama às 22 horas em ponto. Pessoalmente, tenho dois truques que me ajudam a concentrar e a evitar as insónias e a ansiedade que chegam com a TPM. Uma delas foi uma descoberta recente e, apesar de dizerem que faz mal dormir com o telemóvel por perto, dá resultado. Sim, é mais uma aplicação, chama-se Sleep Pillow, é gratuita e o que faz é emitir uma série de sons relaxantes que induzem o sono. Comigo funciona!

Além disso, pulverizo um bocado de Deep Sleep Dreamy Pillow & Body Mist, da The Body Shop na almofada e no corpo antes de dormir. A fragrância relaxante ajuda-me a acalmar. Confesso que a maioria dos truques, sobretudo a parte de ignorar programas nocturnos, são difíceis de levar a cabo, mas vale a pena o esforço e ao menos fica com a certeza de que existem formas de atenuar os sintomas desagradáveis que roubam horas de sono nesta fase do mês.

Veja na página seguinte: Mais gestos que ajudam a lidar com o problema

Comentários